<
>

Benfica, Porto e até agente de Cristiano Ronaldo: Portugal faz megaoperação contra gigantes do futebol

Agentes e inspetores tributários foram nesta quarta-feira às sedes de vários clubes da primeira divisão portuguesa – entre eles Benfica, Porto e Sporting – no marco de uma investigação sobre fraude fiscal e lavagem de dinheiro.

A diligência de enorme dimensão, com 76 mandados de busca e apreensão por todo o país realizados por cerca de 200 oficiais tributários e agentes da Guarda Nacional Republicana (GNR), foi confirmada pelo Ministério Público luso, que batizou o processo como “Operação Fora de Jogo”.

A investigação apura “negócios do futebol profissional realizados a partir de 2015” que supostamente teriam envolvido “ações destinadas a evitar o pagamento das prestações tributárias devidas ao Estado português”, segundo explica o comunicado do MP, que decretou segredo de justiça à causa.

As buscas acontecem nas sedes das sete maiores sociedades anônimas esportivas (SAD) de Portugal: Benfica, Porto, Sporting, Braga, Vitória de Guimarães, Marítimo e Portimonense.

Também são alvos dos mandados clubes da primeira divisão, escritórios de advocacia e também residências dos principais dirigentes esportivos - como os presidentes de Benfica (Luís Filipe Vieira), Porto (Jorge Nuno Pinto da Costa), Sporting (Frederico Varandas) e Braga (António Salvador).

Dentre os escritórios de advocacia investigados está o de Carlos Osório de Castro, representante do superagente Jorge Mendes - que tem entre seus associados Cristiano Ronaldo -, cuja casa no Porto também é alvo de busca e apreensão.