<
>

Valdir Espinosa, técnico campeão mundial com o Grêmio, morre aos 72 anos no Rio

Valdir Espinosa, técnico que conduziu o Grêmio as campanhas vitoriosas na Copa Libertadores e no Mundial de Clubes de 1983, morreu aos 72 anos, nesta quinta-feira (27), no Rio de Janeiro. A informação da morte foi confirmada pela diretoria do Botafogo, clube onde o veterano exercia o cargo de gerente de futebol.

O Grêmio também emitiu uma nota de pesar (leia mais abaixo).

Natural de Porto Alegre, Espinosa estava internado desde o dia 20 de fevereiro após complicações decorrentes de uma cirurgia no abdômen, ocorrida no último dia 17. O velório será nesta quinta-feira, de 15h às 22h, no Salão Nobre da sede botafoguense, no Rio.

Espinosa foi uma figura importante no futebol nacional. Lateral direito esforçado do Grêmio, ele não teve tanto sucesso como jogador. Encerrou a carreira após oito anos entre os profissionais, quando defendia o Vitória. Foi uma trajetória sem títulos oficiais.

Depois, acabou dando prosseguimento no futebol como treinador e aí sim viveu a fase mais importante da vida.

Teve sucesso no Esportivo, de Bento Gonçalves, no Ceará e no Londrina. Foi campeão do interior pelo primeiro clube e estadual pelos dois seguintes. O início promissor o colocou no caminho do Grêmio novamente, onde Espinosa conseguiu os maiores feitos da carreira.

Além dos títulos da Libertadores e do Mundial, também foi campeão Estadual em 1986 e mentor do maior jogador da história gremista: Renato Gaúcho. A geração que comandou ainda contava com nomes como Mario Sérgio, Hugo de León e Paulo Cézar Caju.

Muitas décadas depois daquele período, Renato Gáucho e Espinosa chegaram a trabalhar juntos em 2016, quando o ex-jogador voltou para o cargo de técnico e convidou o antigo mentor para ser coordenador técnico da equipe. Juntos, ganharam a Copa do Brasil daquele ano.

Espinosa também foi técnico de várias equipes nacionais. Destaque para Athletico-PR, Atlético-MG, Botafogo, Ceará, Corinthians, Coritiba, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Palmeiras, Portuguesa, Santa Cruz, Vasco da Gama e Vitória.

Fora do Brasil, Espinosa trabalhou no Al-Hilal, da Arábia Saudita, Cerro Porteño, do Paraguai, e Tokyo Verdi, do Japão. Foi campeão nacional pelo primeiro e bicampeão paraguaio pelo segundo, a quem dirigiu em duas oportunidades diferentes.

Pelos mais próximos, sempre foi conhecido como uma pessoa educada, tranquila e estudiosa.

Foi contratado pelo Botafogo para trabalhar como gerente de futebol nesta temporada. Tinha uma história vitoriosa com o clube, ao conduzir, como técnico, a equipe da Estrela Solitária ao título do Campeonato Carioca de 1989, encerrando um jejum de 21 anos do clube sem títulos oficiais.

Nota de pesar do Grêmio

O Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense informa, com imenso pesar, o falecimento de Valdir Espinosa, um dos maiores técnicos de sua história. Sob o comando de Espinosa o Grêmio abriu as portas do continente e do mundo ao Rio Grande do Sul, conquistando a Copa Libertadores da América e o Mundial de Clubes em 1983.

Valdir Espinosa retornou ao Grêmio em 2016, como Coordenador Técnico e participou da conquista do pentacampeonato da Copa do Brasil. Atualmente exercia o cargo de Gerente Técnico do Botafogo. O Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense se solidariza com toda a família Espinosa, amigos e torcida nesse momento de dor.

Nota de pesar do Botafogo

É com muita dor e imenso pesar que o Botafogo de Futebol e Regatas comunica o falecimento do Professor Valdir Espinosa, aos 72 anos. Comandante do título Carioca em 1989, Espinosa exercia a função de Gerente Técnico desde dezembro de 2019.

Muito querido no Clube por torcedores e por quem conviveu com ele no dia a dia, Espinosa vai fazer muita falta. Sua liderança, exemplo e ensinamentos seguirão no Botafogo como legado dessa figura tão representativa na história do Clube.

O Presidente Nelson Mufarrej decretou luto oficial de três dias. Em sinal de respeito por este grande profissional, O pavihão alvinegro de General Severiano encontra-se a meio-mastro.

Em breve atualizaremos informações sobre velório.

Botafogo de Futebol e Regatas