<
>

Coronavírus: como a epidemia está afetando os esportes e a Serie A na Itália

A Itália é o primeiro país europeu a sofrer um surto do COVID-19, a cepa do coronavírus originária da China, que causou mais de 2.700 mortes até o momento. Até esta quarta-feira, o número de casos suspeitos na Itália era de 259 e, até agora, houve 12 mortes.

O governo instituiu medidas cautelares no domingo para limitar a propagação do vírus.

Duas áreas no norte da Itália foram "divididas em zonas" com restrições de entrada e saída, afetando cerca de 42.000 pessoas. Em um esforço para limitar ainda mais a propagação, o governo ordenou o fechamento de escolas, bares e cinemas em seis regiões do norte da Itália. Muitos empregadores disseram aos trabalhadores para ficarem em casa e muitas igrejas suspenderam a missa semanal no domingo. E, mais significativamente para o futebol, os eventos esportivos nessas seis regiões do norte - Lombardia, Veneto, Piemonte, Friuli-Venezia Giulia, Ligúria e Emilia Romagna - serão realizados com portões fechados pelo menos até 1º de março.

P: Qual é a ideia por trás disso?

R: É puramente preventivo; pense nisso como uma iniciativa para limitar grandes grupos de pessoas reunidas nas proximidades. Até a Fashion Week de Milão está realizando seus desfiles em salas quase vazias.

P: Quais jogos de futebol foram afetados até agora?

R: Quatro jogos da Série A foram adiados no final de semana passado, enquanto o jogo entre Inter e Ludogorets, pela Liga Europa, no San Siro, acontecerá com portões fechados.

Neste fim de semana, outros seis jogos da Série A, incluindo o jogo entre Juventus e Inter de Milão, no domingo, serão assistidos por apenas algumas centenas de pessoas: a maioria dos dirigentes e a mídia. Os outros jogos afetados até terça-feira são Milan x Gênova, Udinese x Fiorentina, Parma x SPAL, Sassuolo x Brescia e Sampdoria x Verona.

Não há restrições para os torcedores que viajam para jogos em outras partes do país, enquanto os detentores de direitos da Serie A na Itália consideram exibir os jogos gratuitamente na televisão.

P: Eles não poderiam adiar os próximos jogos afetados?

R: Eles já fizeram isso com os jogos no fim de semana passado. Eles poderiam adiar alguns jogos de times não envolvidos em competições europeias, mas para os outros simplesmente não há espaço no calendário, principalmente porque a temporada precisa terminar um pouco mais cedo por causa da Eurocopa.

Trinta e cinco jogos da divisão inferior foram adiados. O mesmo acontece com jogos em outros esportes, do rúgbi ao voleibol.

P: E os outros esportes? O que foi impactado?

R: O boxeador italiano Daniele Scardina estava pronto para defender o seu cinturão da IBF International contra o francês Andrew Francillette em Milão na sexta-feira, mas a organizadora Matchroom disse em comunicado nesta segunda-feira que a 'Milano Boxing Night' seria adiada como resultado das restrições regionais implementadas.

As partidas pelo Six Nations de Rúgbi entre Itália e Irlanda (masc. e fem.) foram adiados, enquanto uma partida feminina entre Itália e Escócia, em Milão, em 1º de março também foi cancelada, com os organizadores tentando remarcar esse encontro em uma data posterior.

Outros jogos de rúgbi neste fim de semana no PRO14 foram adiados, assim como partidas no campeonato nacional italiano.

P: Quanto tempo isso vai durar?

R: É impossível dizer agora. Vincenzo Spadafora, Ministro do Esporte da Itália, disse que avaliaria se levantaria as restrições nos próximos dias. Seria necessário outro decreto do governo de emergência para prorrogá-los em 1º de março.

P: De volta ao futebol: as equipes podem jogar em locais neutros em áreas não afetadas?

R: É algo que foi discutido. Ninguém gosta de jogar com portões fechados, é claro, porque você perde nas bilheterias que, para clubes menores, podem ser significativas. Vários clubes já começaram o processo de devolução, como Atalanta, Juventus e Inter.

Há rumores de que a Juventus jogará a partida de volta contra o Lyon em outro lugar que não seja Turim, e continua sendo uma possibilidade para a Inter na Liga Europa e para a Atalanta na Champions, receberem seus adversários em locais neutros, caso avancem para a próxima rodada. Mas não passa de conversa, até o momento. A situação teria que persistir por mais algumas semanas e, se isso acontecer, não está claro que outras áreas ficariam felize com a perspectiva de receber milhares de fãs que viajam de cidades infectadas.

P: Quais são as implicações para as equipes que jogam fora de casa contra clubes italianos?

R: O Barcelona passou por testes quando chegou a Nápoles antes da partida da última terça-feira. Isso chamou muita atenção, mas, na verdade, esses testes têm sido rotineiros para quem chega nos aeroportos italianos nas últimas três semanas. O técnico do Barcelona, ​​Quique Setien, minimizou as coisas, dizendo: "Não estou preocupado com meu time. Estou preocupado com todos os infectados ... para nós, foi apenas um teste de febre, nada mais". É assim que a maioria está tratando agora.

P: Olhando para o futuro, a Itália é um local da Euro 2020; alguma palavra sobre isso possivelmente ser afetado?

R: A Uefa divulgou um comunicado nesta quarta-feira, dizendo que "não há necessidade de alterar nada no cronograma planejado", além de acrescentar que "a questão será mantida sob constante discussão".

Com informações adicionais de Alex Pattle.