<
>

Maradona detona Riquelme e outros cartolas do Boca: 'não têm ideia do que é o clube e entraram sem estudar

Técnico do Gimnasia y Esgrima La Plata, Diego Armando Maradona voltará à Bombonera para o jogo contra o Boca Juniors, seu time do coração, no próximo dia 7 de março pela Super Liga Argentina.

A futura visita do ídolo argentino, que muitas vezes foi visto torcendo pelo clube xeneize nas tribunas do estádio, já está causando polêmica. Brigado com a atual diretoria do Boca, El Pibe não será recebido com festa.

"É um técnico que vem tratar de ganhar do Boca, não a uma festa do Boca. Há coisas que pensamos e sentimos de diferentes maneiras. Tem que lembrar do melhor Diego, o que jogava, esse jogador que nos encheu de orgulho em todos os lados", afirmou o presidente do clube, Jorge Ameal.

Ao rebater a diretoria, Maradona não poupou críticas a seu desafeto Juan Román Riquelme, que hoje é vice-presidente do Boca.

"Eles dizem que sou fã do Boca? Sou fã do Boca, mas nunca desisti da Seleção, não perdi nenhum jogo do Boca, não perdi nenhum treinamento no Boca, hein. E os amigos, que são os comparsas, que não têm ideia do presente, porque eles entraram sem estudar... E eu digo todos, não apenas para Riquelme, porque eu não me importo. Eu não quero me deem uma placa, não me interessa que me recebam, toda a rua diz outra coisa ", disse à TyC Sports.

Riquelme e Maradona jogaram juntos no Boca entre 1996 e 1997, e tinham uma ótima relação. Em 2009, porém, Riquelme se irritou com alguns companheiros de seleção - amigos de Maradona - porque eles supostamente estariam fazendo corpo mole para derrubarem o técnico Alfio Basile.

Quando Maradona assumiu o cargo, ele criticou publicamente o rendimento do então camisa 10. Riquelme renunciou à seleção argentina, abriu mão da Copa de 2010 e nunca mais falou com El Pibe.