<
>

Manchester City vai usar até espionagem do Liverpool para voltar à Champions, diz jornal

O Manchester City não vai poupar esforços para tentar reverter o banimento por duas temporadas da Uefa Champions League. Segundo o jornal inglês “Mirror”, até o caso de espionagem que envolve o Liverpool entrará na defesa na Corte Arbitral do Esporte (CAS).

Segundo a publicação, a tese principal da defesa passa pelo fato de Uefa ter tomado sua decisão baseada em “e-mails tirados de contexto e obtidos de forma ilegal”.

E é aí que entra o Liverpool: ao tratar da forma como os e-mails em questão foram vazadas, o City quer usar o caso que fez os Reds pagarem uma indenização de 1 milhão de libras (R$ 5,57 milhões) para que o caso fosse arquivado.

Tudo aconteceu em 2013, quando a equipe de Manchester acusou os rivais de terem hackeado e acessado ilegalmente o sistema de scouting do clube.

À época, o City afirmou que até teve que acelerar a contratação do volante brasileiro Fernandinho, então no Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, por medo que o Liverpool usasse as informações do sistema de scouting para dar um "chapéu".

Apesar dos indícios e do pagamento da indenização, em virtude do tempo em que o caso de espionagem teria acontecido, a Federação Inglesa (FA, na sigla em inglês) decidiu não punir o Liverpool.

"Isso se deve a uma série de fatores, incluindo o tempo percorrido desde que as acusações foram feitas e também o acordo feito entre os clubes envolvidos", disse o órgão no início de 2020.

O caso, contudo, pode ter novos desdobramentos com a apresentação do City à Corte Arbitral do Esporte (CAS), segundo o “Mirror”.