<
>

Aos 109 anos, Corinthians conhecerá 254ª cidade da sua história e jogará em 5º menor estádio no século

O Corinthians jogará neste sábado pela primeira vez em Diadema, na região metropolitana de São Paulo, distante a 33 km da sede alvinegra, no Parque São Jorge, na zona leste da capital paulista. Algo no mínimo curioso porque, ao longo dos seus 109 anos, o clube já atuou ao menos uma vez em locais muito mais longínquos, como Willemstad (Curação), Casablanca (Marrocos), Ramenskoie (Rússia) e Yokohama (Japão), para citar alguns exemplos.

Diadema corresponderá a 254ª cidade e o 84º município do Estado de São Paulo visitado pela equipe alvinegra, segundo o aplicativo "Almanaque do Timão". O trabalho é do jornalista Celso Unzelte, também comentarista dos canais ESPN., e a conta inclui a capital paulista.

O motivo que leva o Corinthians a jogar agora no ABCD paulista é o Água Santa, adversário desta sétima rodada do Campeonato Paulista. Um confronto inédito. Este é outro fato que ajuda a entender porque demorou tantas décadas para os torcedores de Diadema verem o "Timão" de perto.

Por ser uma cidade jovem, afinal se emancipou de São Bernardo do Campo apenas no final de 1959, Diadema não teve equipes profissionais de futebol até o surgimento do Água Santa. Prevaleciam times amadores. Um dos mais tradicionais e conhecidos é o Sete de Setembro, de 1961. Muitas vezes campeão municipal.

Muitos outros surgiram a partir dos anos 1970, estimulados pela criação da Liga Futebol de Diadema, em 1972. No mesmo ano nasceu uma das forças da várzea, o Boa Vista, que já foi parceiro do Água Santa. Depois vieram equipes como XI Unidos, Piraporinha, Vila Lídia, Democrático e Internacional.

Atualmente, a Liga conta com mais de 40 equipes sob sua batuta. São três divisões e uma copa local.

O Água Santa foi criado nesse contexto, em 27 de outubro de 1981, no bairro Jardim Eldorado. Foi três vezes campeão da principal divisão de futebol amador da cidade e quatro vezes vice. Também tem uma taça da segunda divisão e outra da terceira. A ideia de se profissionalizar começou em 2011 e virou em 2013.

Naquele ano, o Água Santa jogou a Segunda Divisão do Campeonato Paulista, que corresponde a quarta e última competição do Estado, e foi vice-campeão. A ascensão foi meteórica. Em 2016, estreou na Série A1 do Estadual. Só não enfrentou o Corinthians porque estava no mesmo grupo do clube mosqueteiro.

Fez 16 pontos em 15 jogos, mas acabou rebaixado porque foi a temporada em que seis equipes caíram para que o campeonato chegasse os atuais 16 participantes.

A campanha atual dos donos da casa não é difícil. Venceu uma partida, empatou duas e perdeu três. O rebaixamento é uma ameaça. Tanto que já trocou de técnico. Pintado assumiu no lugar de Fernando Marchiori. Fase diferente da corintiana: oito pontos, com dois triunfos, dois empates e dois reveses.

Novo setor no estádio

A partida entre Corinthians e Água Santa será disputada na Arena Inamar, no Jardim Inamar. Ao todo, serão 10 mil lugares, dos quais 7.000 para torcedores corintianos

A torcida da casa estará em menor número e em um novo setor, no lado sul do estádio, que deu ao estádio três mil novos lugares.

A Arena Inamar é o quinto menor palco em que o Corinthians jogará neste século. Atrás apenas dos estádios Augusto Bauer, em Brusque (5.000 lugares), ESPN Wide World of Sports Complex, em Orlando (5.200), Ulrico Mursa, em Santos (aproximadamente 8.000) e Tenente Carriço, em Penápolis (8.769).

O local não é tão antigo. Foi inaugurado em 2009, mas tem características que lembram campos históricos do futebol paulista. A falta de refletores de iluminação, como a casa do Juventus, na rua Javari, acabou por modificar o horário da partida deste sábado. A bola rola a partir das 15h (de Brasília).