<
>

TSE nega pedido para criação do Partido Nacional Corinthiano

play
No Corinthians, regras de Tiago Nunes são exageradas ou na medida? BB Debate discorda apenas de uma (3:21)

Técnico colocou normas para refeição, vestiário, treinos e lista de relacionados (3:21)

Por unanimidade, foi negado nesta quinta-feira o registro do PNC (Partido Nacional Corinthiano), que, como cita em seu estatuto, não há ligações com o time de futebol do Corinthians.

O Plenário do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) não reconheceu o requerimento apresentado pela sigla.

Foi apontado que não houve o apoio mínimo necessário para a criação.

Os ministros seguiram o voto do relator Luis Felipe Salomão, que disse que a norma “limita-se a estabelecer um requisito de modo a se comprovar quantitativa e qualitativamente o apoio de eleitores a legenda que pretenda participar do processo eleitoral, receber recursos do Fundo Partidário e ter acesso a tempo de rádio e televisão”.

Na atual lei, para a sigla ser criada é preciso 490 mil assinaturas, em um período de dois anos, o que não foi conquistado pelo partido.

Esta foi a segunda vez que a criação do PNC foi negada pelo STF.

Em 2015, ano do primeiro pedido, a falta de documentação necessária foi o motivo da rejeição.