<
>

Flamengo de Jorge Jesus tem histórico avassalador e médias incríveis em mata-mata no Maracanã

"Em casa a gente conversa".

Quantas vezes você já não ouviu isso? Bem, dá para dizer que é o que pensa o Flamengo de Jorge Jesus após o empate contra o Independiente del Valle, pela ida da Recopa Sul-Americana.

A decisão será na próxima quarta-feira, no Maracanã - onde o rubro-negro é praticamente invencível quando o assunto é mata-mata.

Desde a chegada de Jorge Jesus, o time teve quatro duelos nesse estilo de ida e volta, e o retrospecto é, no mínimo, animador.

O primeiro de todos foi o pior, quando o Flamengo empatou com o Athletico-PR em 1 a 1 na partida de volta e foi eliminado da Copa do Brasil nas quartas-de-final após disputa de pênaltis.

Depois disso vieram três duelos continentais, da campanha vencedora da Copa Libertadores. Contra o Emelec, nas oitavas, venceu o returno por 2 a 0 e avançou nos pênaltis após igualar o placar no agregado.

Em seguida recebeu a ida das quartas, contra o Internacional, e foi implacável: 2 a 0 e uma classificação já muito bem encaminhada.

Nas semis, a vitima foi o Grêmio, que levou uma goleada histórica no jogo de volta, por 5 a 0, e viu o time de Jorge Jesus garantir vaga na final da competição, disputada em Lima, no Peru.

Nesses quatro jogos, foram 10 gols feitos e apenas 1 sofrido, média incrível de 2,5 gols pró por jogo e apenas 0,25 contra.

Grande parte dessa força vem da torcida, que compareceu em peso nessas decisões, gerando uma média de 67 mil e 213 presentes por duelo.

E na hora de resolver, já sabe quem chamar, não? Gabigol e Bruno Henrique fizeram, respectivamente, 5 e 3 gols apenas nesse recorte, comprovando o status de decisivos. Os outros gols foram marcados um por Pablo Marí, outro por Rodrigo Caio.