<
>

Técnico do Leverkusen, rival do Porto na Liga Europa, defende Marega em caso de racismo: 'Comigo, a equipe sairia de campo também'

Na quinta-feira (20), o Bayer Leverkusen recebe o Porto pela primeira partida dos 16-avos de final da Europa League. Na coletiva de imprensa pré-jogo, porém, um dos assuntos mais comentados foi o triste caso de racismo sofrido pelo atacante Marega, da equipe portuguesa, no duelo contra o Vitória de Guimarães, no último final de semana.

O centroavante do Porto reclamou de insultos raciais desde o início da partida e eles se intensificaram após o gol anotado por Marega, o segundo da vitória por 2 a 1.

Na coletiva, o técnico Peter Bosz, do Bayer Leverkusen, comentou o ocorrido. "Temos de dizer claramente não ao racismo, isso não pertencer ao futebol. Se fosse um time meu, todos sairiam do campo", disse.

Na ocasião, apenas o atacante malinês se revoltou e deixou o gramado. Alguns de seus colegas e adversários ainda tentaram impedir a atitude de Marega, que posteriormente se posicionou pelas redes sociais.