<
>

Neymar endossa o 'falar menos e jogar mais' e, relembrando histórico 6 a 1, dá a receita para o PSG virar contra o Dortmund

play
Haaland x Neymar: no duelo de craques, melhor para o artilheiro do Borussia Dortmund na Champions League (0:44)

O norueguês de 19 anos fez os dois gols da vitória por 2 a 1 sobre o PSG (0:44)

Em um jogaço no Signal-Iduna Park, o Borussia Dortmund venceu o Paris Saint-Germain por 2 a 1, nesta terça-feira, pelo jogo de ida das oitavas de final da Champions League.

Neymar, que voltou após quatro partidas fora, fez o único gol dos franceses na Alemanha. E após a partida, relembrou o histórico 6 a 1 do Barcelona sobre os franceses, no qual foi protagonista pelo time catalão, e falou sobre como conseguir a virada em casa, no dia 11 de março:

"Temos que entrar com a mentalidade de vencer o jogo. Com a confiança lá em cima. Temos uns dias para se preparar acho que na semana antes desse jogo, e a confiança tem que estar lá em cima, cabeça tem que estar leve para tudo fluir naturalmente", respondeu o atacante ao Esporte Interativo.

O brasileiro também falou sobre essa partida de ida e o resultado negativo:

"Acho que a gente tem que saber que a equipe deles é muito qualificada. Acho que o resultado não é completamente horrível, óbvio que perder é muito ruim. Tem mais 90 minutos para conseguir a classificação, e em casa a gente vai com tudo", acrescentou na mesma entrevista.

Por fim, foi questionado sobre o rodízio de faltas que o time alemão fez nele, e voltou a defender o que diz desde o começo da temporada:

"Não tenho mais o que fazer, o que falar. Já me deram cartão amarelo por jogar futebol. Não tem mais o que fazer, o negocio é falar menos e jogar mais. Esse é meu objetivo, é nisso que eu estou pensando. Não ligo para o que falam. Tem um cara completamente colorido dentro de campo que controla a partida, ele tem que estar de olho nisso, saber quando dar cartão, entender o que é rodízio de faltas", encerrou.