<
>

Barcelona nega acusações em novo escândalo, mas rescinde com empresa que atacava ídolos do clube

play
Barcelona contratou empresa para falar bem de cartolas e detonar ídolos, diz rádio (3:36)

A E3 Ventures estaria por trás de dezenas contas no Facebook e no Twitter que publicaram ataques à imagem de Messi, por exemplo, por causa de sua demora em renovar contrato (3:36)

O Barcelona vai mesmo rescindir contrato com a I3 Venture, pivô de um escândalo noticiado pela imprensa espanhola na segunda-feira. A rádio Cadena SER Catalunha publicou que o clube contratou os serviços da empresa para proteger a reputação do presidente Josep Maria Bartomeu e também manchar a imagem de jogadores e pessoas envolvidas com o clube.

Durante evento nesta terça, em Barcelona, o próprio Bartomeu fez um pronunciamento. Defendeu a honra do clube e da junta diretiva, negou que a empresa tenha sido contratada para esses fins e disse que ordenou a rescisão imediata do contrato.

"Quero ressaltar o modelo de clube que temos aqui no Barcelona. Um clube de propriedade de mais de 140 mil sócios, marcado por princípios de liberdade de expressão. E dirigido com muito rigor", disse o cartola.

"Quero deixar claro que o Barcelona não contratou, nunca, nenhum serviço para desprestigiar ninguém. Nenhum ex-jogador, jogador, diretor, presidente, ex-presidente ou político. É totalmente falso dizer isso e nos defenderemos das acusações", continuou Bartomeu.

"Sim, é verdade que no final de 2017 foi contratado um serviço para controlar e monitorar redes sociais, como muitas empresas fazem. Ante a confirmação da existência de contas que fizeram comentários inadequados, já dei as instruções para rescindir imediatamente o contrato com esta empresa", finalizou.

Bartomeu também lembrou outras acusações feitas contra a sua gestão, como a compra e venda do volante Paulinho ao futebol chinês, e prometeu que o Barcelona vai se defender.

"Sobre a questão se encomendamos um serviço de monitoramento, a resposta é sim. E continuaremos fazendo porque acreditamos que é nossa responsabilidade. Sobre se comissionamos algum serviço para desprestigiar alguém, a resposta é não. E perseguiremos aqueles que nos acusam e faremos o que for necessário. Já fizemos isso com sucesso, como quando nos acusaram de corrupção no caso Paulinho, derrubando a acusação e forçando quem nos acusou a retificar".

Indireta ao Manchester City

Além de comentar o escândalo nas redes sociais, Bartomeu deu uma indireta ao Manchester City, banido das duas próximas edições da Champions League por descumprir regras do fair play financeiro. Sem citar o clube inglês, o presidente do Barcelona fez elogios à Uefa, responsável por punir o time de Pep Guardiola.

"Agradecemos à Uefa, que durante os últimos anos tem sido firme e segura nas ações relacionadas ao futebol. Regularmente temos investigações e oferecemos todo nosso apoio a este organismo que preza pelo futebol. Este é um clube administrado com rigor e respeito aos mecanismos do futebol. Com respeito ao fair play financeiro, agradecemos a Uefa pelo que tem feito pelo bem do futebol", disse.