<
>

Marega desabafa após caso de racismo: 'Me senti como m****; foi uma grande humilhação'

No último domingo, Marega, atacante do Porto, abandonou o gramado ao sofrer ofensas racistas na partida contra o Vitória de Guimarães.

O atleta retribuiu os gritos racistas com gestos obscenos e recebeu cartão amarelo do árbitro da partida. Ele então optou por deixar o gramado.

Nesta segunda, em entrevista à Radio Montecarlo, da França, Marega desabafou e traçou uma linha do tempo dos acontecimentos:

"Tudo começou no aquecimento. Até então, eram apenas duas ou três pessoas. Deve acontecer com todo mundo, não importa, podemos continuar jogando, eu disse para mim mesmo... Mas quando se trata de quase todo o estádio, não é possível continuar jogando quando tiram sarro da cor da nossa pele. É triste que isso aconteça em 2020. Eu realmente me senti como m****. Foi uma grande humilhação para mim. Depois que o jogo terminou, fui para casa e a única coisa que me fez sorrir foi ver meu filho. Essa e todas as mensagens de apoio que recebi."

Concluindo, deu sua opinião sobre a postura das autoridades em campo:

"Eu gostaria que as partidas parassem. Seria um gesto forte dos árbitros, da Liga. Os slogans anti-racistas são estúpidos, você apenas reúne os times em uma foto que compartilha nas redes sociais".

Ainda no domingo, após a partida, o atacante fez um post em seu Instagram falando sobre o acontecimento:

"Gostaria apenas de dizer a esses idiotas que vêm ao estádio fazer gritos racistas ... vá se f... E também agradeço aos árbitros por não me defenderem e por terem me dado um cartão amarelo porque defendo minha cor da pele. Espero nunca mais encontrá-lo em um campo de futebol! VOCÊ É UMA VERGONHA !!!!", postou o jogador.