<
>

Champions League: como Atalanta construiu o 3º melhor ataque da Europa, à frente de Barça, Real, Liverpool e Bayern

play
Sensação da Champions, Atalanta é a 'obra-prima' de Gasperini, analisa Bertozzi: 'Time muito aberto, solto, que diverte' (2:04)

Equipe italiana enfrenta o Valencia 'com chances iguais' de avançar às quartas de final (2:04)

Gollini; Rafael Tolói, Palomino e Djimsiti; Hateboer, De Roon, Freuler (Pasalic) e Gosens; Papu Gómez, Duván Zapata e Ilicic .

Tal escalação parece uma potência ofensiva do futebol mundial? Se os nomes não são tão conhecidos, os números da Atalanta, que enfrenta o Valencia pelas oitavas de final da Champions League nesta quarta-feira, impressionam muito.

A equipe que disputa a principal competição europeia pela primeira vez em sua história tem o terceiro melhor ataque da Europa, considerando-se apenas os números das cinco maiores ligas nacionais (Inglaterra, Espanha, Alemanha, Itália e França).

PSG e Manchester City fizeram mais gols nos seus campeonatos de pontos corridos: 67 e 65, respectivamente. Na terceira colocação, a Atalanta aparece empatada com o Borussia Dortmund, com 63, à frente de times como Bayern de Munique (62), Liverpool (61), Barcelona (57) e Real Madrid (46).

Se o critério utilizado for média de gols por partida, a equipe italiana também fica no topo da Europa: quarta posição, com 2,63 gol por jogo, atrás apenas de Borussia, Bayern e PSG.

Tamanha produção ofensiva vem muito graças ao trabalho do técnico Gian Piero Gasperini. O ‘professor’ de 62 anos, eleito Treinador do Ano na última temporada do Campeonato Italiano, chegou ao clube em junho de 2016 e implantou um estilo ofensivo que trouxe alguns dos melhores resultados da história do clube.

Considerando os números das cinco grandes ligas, a Atalanta é a segunda equipe que mais cria chances e mais finaliza em toda Europa, atrás apenas do Manchester City – os números são do TruMedia, ferramenta exclusiva da ESPN.

Elenco modesto

Toda essa produção ofensiva acontece apesar de um elenco que pode ser considerado modesto.

De acordo com o site especializado Transfermarkt, a Atalanta tem apenas o 8º plantel mais valioso da Itália, atrás de equipes como a Fiorentina, Roma, Lazio e Napoli. Além disso, o clube é da cidade de Bergamo, que tem cerca de 120 mil habitantes – ou seja, não está exatamente num centro econômico.

Mesmo com dificuldades, é a atual quarta colocada na Serie A, seis pontos à frente da Roma e rumo a mais uma classificação para a Champions.

Para fazer sucesso, além do trabalho consistente de seu técnico, a Atalanta precisou de contratações bem feitas em lugares que muitos não imaginariam.

  • Duván Zapata: emprestado a uma taxa de 14 milhões de euros pela Sampdoria em 2018 e com opção de compra exercida no mês passado por outros 12 milhões de euros. É o terceiro maior artilheiro da equipe na temporada (considerando Italiano e Champions), com nove gols, e poderia até ter balançado mais as redes se não fossem as lesões. Também deu cinco assistências e costuma ser convocado pela Colômbia.

  • Josip Ilicic: comprado em julho de 2017 por 5,75 milhões de euros junto à Fiorentina. É o artilheiro da temporada, contando Italiano e Champions, com 14 gols.

  • Papu Gómez: comprado do Metalist em setembro de 2014 por 4,47 milhões de euros. Com mais de cinco anos na equipe, o argentino revelado pelo Arsenal de Sarandí é um ídolo da torcida. Lidera em assistências, com 11, além de 7 gols na temporada.

Trio de ataque à parte, o meio-campo da equipe de Bergamo também tem nomes pinçados em centros secundários da europa. Robin Gosens foi comprado do Heracles Almelo, enquanto Hans Hateboer foi contratado do Groningen, ambos da Holanda.

Remo Freuler chegou do FC Luzern, da Suíça, ao passo que o jovem Mario Pasalic, que pertence ao Chelsea, estava no Spartak.

Vivendo um momento mágico, a Atalanta contou com uma ajudinha do sorteio e fugiu dos gigantes nas oitavas de final. Será que a equipe italiana faz história mais uma vez e chega às quartas?