<
>

Lemar quase foi ao Liverpool em vez de Salah; hoje, amarga o banco no Atlético de Madrid

Se tiver sorte, Thomas Lemar pode figurar entre os reservas do Atlético de Madrid para o confronto válido pelas oitavas de final da Champions League, nesta terça-feira, contra o Liverpool. Se ele tivesse tido ainda mais sorte, o atacante francês estaria se preparando para enfrentar o time de Diego Simeone como peça-chave da tentativa do Liverpool de defender o seu título na Europa.

Como estamos hoje, o jogador de 24 anos está simplesmente esperando seu pesadelo em Madri terminar. Em pensar que, há pouco mais de um ano, Lemar havia realizado um sonho ao fechar sua mudança para o Atleti. Aliás, a transferência ocorreu em meio ao período em que foi campeão mundial com a França - ele foi titular em uma partida na Rússia.

A ida aos Colchoneros aconteceu menos de um ano depois de o Liverpool marcar exames médicos para o jogador, acreditando que havia fechado um acordo com o Monaco para o jovem nos últimos dias da janela de transferências de verão de 2017. Desde que o negócio não deu certo, a carreira de Lemar estagnou. Somente no mês passado, Diego Simeone admitiu que o clube espanhol estava aberto a ofertas pelo meia-atacante durante a janela de janeiro, com o argentino fazendo uma avaliação contundente de sua temporada e meia no clube.

"Os fatos falam por si, melhor que palavras", disse Simeone sobre o tempo de Lemar no clube. "É certo que ele [Lemar] não foi capaz de mostrar todas as suas qualidades. Cada vez que ele esteve disponível, tentei usá-lo e sempre fiquei entusiasmado com suas qualidades como jogador. Ele não conseguiu fazer o que esperávamos dele, mas nós nunca diminuímos as expectativas".

É claro que o Liverpool está muito bem, muito obrigado, sem Lemar. São duas finais de Champions League consecutivas (um título) e uma vantagem gigantesca na tabela da Premier League. Sem contar que, naquela mesma janela, os Reds contrataram Van Dijk. Quanto a Lemar, as coisas não poderiam ter piorado mais. O Monaco estava esperando cerca de 92 milhões de libras pelo jogador em 2017, mas quando finalmente o venderam 11 meses depois, ele foi ao Atlético por cerca de 63 milhões de libras.

Como jogador capaz de atuar aberto ou como 10, Lemar surgiu como um dos jovens mais empolgantes da Europa durante a campanha do Monaco até a semifinal da Champions 2016-17, marcando 14 gols em 55 jogos em todas as competições. Basta dizer que o Liverpool ficou frustrado por perder um jogador que Jürgen Klopp acreditava ter o poder para transformar o clube. Esse jogador acabou sendo Mohamed Salah.

No início deste mês, depois de Lemar entrar como substituto no segundo tempo durante a derrota por 1 a 0 contra o Real Madrid, Simeone voltou a questionar a contribuição do francês: "Lemar entrou e não conseguiu responder ao jogo do jeito que precisávamos. "

Então, como um dos jovens talentos mais brilhantes da Europa falhou de maneira catastrófica no Atlético?

As estatísticas são bastante contundentes. Em 23 jogos nesta temporada, ele ainda não marcou ou criou um gol para a equipe de Simeone, que entra no confronto da Champions contra o Liverpool na quarta posição de LaLiga, um pouco à frente do quinto colocado Sevilla no saldo de gols.

A última temporada foi um pouco melhor, com Lemar marcando três vezes e registrando seis assistências em 43 jogos. Simeone tem se esforçado para encontrar um papel para o atleta, mas igualmente, o próprio jogador achou quase impossível se ajustar às exigências de jogar pelo Atlético, que sempre foi uma das equipes mais tenazes de toda a Europa sob o comando de Simeone. Uma fonte próxima a Lemar disse à ESPN que seu fracasso se deve a vários fatores, mas que, em última análise, o Atlético foi a escolha errada para o jogador.

"Ele é um bom garoto", afirmou a fonte à ESPN. "Ele é um bom profissional, com uma boa equipe: ele tem seu próprio chef, fisioterapeuta pessoal e não sai para beber. Mas o Atleti foi a escolha errada. Ele não se encaixa no jeito que eles jogam, e é bonzinho demais para ser jogador de Simeone.

"Lemar pensou que trabalhar com Simeone o tornaria mais durão e um jogador mais completo, mas não deu certo para ele. Ele não achava que a Premier League fosse a liga certa para ele e que a Espanha era mais adequada. E ele provavelmente está certo.

O valor de Lemar e seu salário, superior a 200 mil libras por semana, o afastaram de uma saída do Atlético no mês passado, mas é provável que seja encontrado um acordo para ele deixar o clube neste verão. Para onde ele vai, no entanto, segue como a grande questão.

Ele não está convencido da perspectiva de uma mudança para a Inglaterra, e um retorno à França só é provável se o Paris Saint-Germain demonstrar interesse. Poderia ter sido uma história diferente se ele se tivesse ido para o Liverpool, mas o grande perdedor nessa história toda foi, justamente, o próprio Lemar. Quando ele assistir do banco à partida de terça-feira, haverá um choque de realidade.