<
>

Presidente da LaLiga comemora punição ao Manchester City e cita também o PSG

Após a Uefa (União das Federações Europeias de Futebol) comunicar nesta sexta-feira que o Manchester City foi banido por duas temporadas da Uefa Champions League, o presidente de LaLiga (entidade que organiza o Campeonato Espanhol), Javier Tebas, comemorou a decisão.

Por meio de suas redes sociais, Tebas, que há anos vem apontando indícios de irregularidades (o chamado doping financeiro) nos patrocínios dos clubes financiados pelos petrodólares do Oriente Médio, celebrou a "ação severa" tomara pela Uefa para suspender os Citizens.

Além disso, o presidente de LaLiga ainda aproveitou para recordar que também gostaria de ver o Paris Saint-Germain levar gancho semelhante.

"A Uefa finalmente tomou medidas decisivas. Fazer cumprri as regras de fair play financeiro e castigar o doping financeiro é essencial para o futuro do futebol", escreveu Tebas.

"Há anos pedimos ações severas contra Manchester City e Paris Saint-Germain. Antes tarde do que nunca!", completou.

Além da suspensão na Champions, o clube inglês foi multado em 30 milhões de euros (R$ 140,2 milhões) pela entidade que rege o futebol europeu.

A punição passará a valer a partir da temporada 2020/2021 - ou seja, o City ainda poderá continuar na disputa da Liga dos Campeões neste ano.

Por meio de um comunicado, os Citizens afirmaram que estão "desapontados", mas "não surpresos" com a decisão da Uefa, a quem acusam de premeditar o resultado do julgamento.

O clube salientou que buscará agora um "julgamento imparcial" na CAS (Corte Arbitral do Esporte), na Suíça, assim que possível, confirmando que irá recorrer do resultado do processo.