<
>

Flamengo pode ser punido por comportamento homofóbico da torcida

play
Gian Oddi comenta caso de homofobia na TV Fla: 'Comunicação do Flamengo é desastrosa' (2:53)

Comunicação do Flamengo se envolveu em nova polêmica na quarta-feira (2:53)

A rivalidade entre Flamengo e Fluminense, que está em alta no futebol do Rio de Janeiro, pode ganhar mais capítulos após o Rubro-Negro ter derrotado o Tricolor por 3 a 2 no meio de semana pelas semifinais da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca. Isso porque a Procuradoria do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJD-RJ) estuda denunciar o comportamento da torcida flamenguista que, por dois momentos do clássico, gritou frases homofóbicas contra o rival: “time de v…”.

Caso a Procuradoria decida denunciar o Flamengo, o clube pode responder pelo artigo 243-G, que fala em “Praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência”. Se os auditores entenderem que o caso é passível de punição, o Flamengo perderia os pontos da final.

Recentemente, o Fluminense foi julgado e absolvido pelo comportamento de sua torcida no Fla-Flu da primeira fase, quando os torcedores gritaram “time de assassino”, se referindo ao incêndio no ano passado no Ninho do Urubu, que custou a vida de dez jovens das categorias de base do Rubro-Negro. No julgamento, os auditores entenderam que os gritos não eram discriminatórios, o que poderia resultar em punição. Isso leva a crer que, em caso de julgamento, pelo mesmo entendimento, o Flamengo poderá ser punido.

A situação se agrava pelo comportamento da TV oficial do clube que, durante a transmissão do jogo, se referiu aos jogadores do Fluminense dizendo que eles estavam no “Show das Poderosas”. O clube divulgou comunicado se desculpando pelo comportamento de sua torcida.

Tentando se manter alheio a isso, a delegação já está em Brasília (DF), onde no domingo, às 11h (de Brasília), o Flamengo enfrenta o Athletico-PR pela decisão da Supercopa do Brasil, no Estádio Mané Garrincha.

Para este jogo, não conta com o zagueiro Léo Pereira, que se recupera de dores na posterior da coxa esquerda. Assim, Rodrigo Caio, que retorna após se recuperar de um corte no joelho direito, vai formar dupla com Gustavo Henrique, que foi liberado para jogar. Um esboço de time para domingo tem: Diego Alves; Rafinha, Gustavo Henrique, Rodrigo Caio e Filipe Luís; Willian Arão, Gerson, Everton Ribeiro e De Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabigol.