<
>

Jean se diz arrependido de agredir ex-esposa, pede desculpas e desabafa: 'Não sou esse monstro'

Jean falou pela primeira vez sobre a agressão à ex-esposa Milena Bemfica, em dezembro, durante viagem de férias da família aos Estados Unidos. Apresentado pelo Atlético-GO nesta sexta-feira, o goleiro admitiu o erro, se disse arrependido pela atitude e pediu desculpa.

"Toda história tem dois lados, sim, mas nada justifica a agressão. Fiquei totalmente errado. Não estou dizendo que pela história ter dois lados eu estou certo em agredir. Foi uma reação que eu tive. Nunca tinha agredido ninguém. Peço desculpa a todas as mulheres. Não sou esse monstro que a imprensa fez de mim", disse o jogador de 24 anos.

O caso veio à tona em 18 de dezembro, quando Milena usou as redes sociais para dizer que tinha sido agredida por Jean. O jogador chegou a ser preso e fichado pelo Departamento de Correções do Condado de Orange, na Florida, mas foi solto dias depois e liberado para voltar ao Brasil. Teve o contrato com o São Paulo, que ia até 2022, suspenso e depois foi emprestado ao Atlético-GO.

"Por eu ser uma pessoa pública, que era jogador do São Paulo, um time visto mundialmente, claro que ia repercutir mais do que uma pessoa comum. Estou completamente arrependido. Que minha história sirva de lição para que outros casos não aconteçam, não só figuras públicas, todos os homens do mundo. Que meu caso sirva de exemplo: mulher não foi feita para ser agredida", afirmou.

Além de se desculpar, Jean falou sobre o contato com as filhas. Nesta semana, Milena acusou o ex-marido de não pagar pensão e deixar as duas meninas do casal em dificuldade. O goleiro não comentou a parte financeira, mas garantiu que não vai deixar de ajudar as crianças.

"Sobre a pensão, é uma questão jurídica, não posso comentar. Minhas filhas vieram para Goiânia junto com minha ex-esposa. Tenho contato com elas, sim. Trouxe elas para Goiânia. Mas agora começaram as aulas e elas não podem vir. Mas quando eu tiver uma folga vou para Salvador. Eu amo minhas filhas e o mais difícil está sendo ficar longe delas".