<
>

A história de amor de Kobe Bryant com o Barcelona

Admirador confesso de Leo Messi, como foi também de Ronaldinho e do “estilo” demonstrado pela equipe comandada por Pep Guardiola, Kobe Bryant manteve ao longo dos anos uma relação de carinho recíproco com o Barcelona, que chegou, em 2015, a oferecer-lhe a possibilidade de aposentar-se no basquete europeu com a camisa azul-grená.

“Quando o Barcelona, há muito tempo, veio a Los Angeles, estava falando com o Ronaldinho – que é amigo meu – e ele me disse: ‘Olha, Kobe, vou te apresentar o jogador que será o melhor de todos os tempos’. ‘Mas você é o melhor jogador’, respondi. E ele: ‘Não, ele vai ser melhor’. E era Lionel Messi". A frase foi dita pelo próprio Kobe durante uma entrevista à ESPN Deportes em dezembro de 2015, em que não poupou elogios ao craque argentino.

A entrevista foi produzida pouco tempo antes de quando, após ter anunciado sua aposentadoria da NBA ao fim da temporada 2015/2016, Kobe recebeu a proposta do Barça.

O astro encontrou a delegação do Barcelona na concentração da pré-temporada que realizou nos Estados Unidos no verão de 2006, quando Ronaldinho o fez conhecer Messi e embalou uma sólida amizade com a estrela brasileira, além de sentir-se encantado pelo clube e pelo estilo de jogo da era Guardiola, a quem conheceria anos depois em outra pré-temporada.

Em 2007, durante férias em Barcelona, Kobe assistiu a um treinamento da equipe azul-grená e conversou com Ronaldinho. Posteriormente, falou com Frank Rijkaard, então o treinador, que era um de seus ídolos da adolescência, por ter jogado no Milan na época em que seu pai, Joe Bryant, jogava no Reggio Emilia, da Itália.

Derrotado em Barcelona

Quando em 2010 a NBA programou uma partida de pré-temporada dos Los Angeles Lakers em Barcelona, contra o Barça, Kobe não escondeu sua felicidade. Foi no dia 7 de outubro daquele ano, e ele descobriu em primeira pessoa a personalidade da equipe azul-grená, que derrotou os Lakers por 92 a 88, no Palau Saint Jordi.

Seus 15 pontos ou os 25 de Pau Gasol (que retornava à sua casa) não foram suficientes diante do embalo de um Barça comandado por Juan Carlos Navarro (25 pontos) e Pete Mickeal (26), fazendo com que no fim da partida o próprio Kobe cogitasse um futuro azul-grená. “Quem sabe”, disse, deixando a porta aberta para uma possível transferência na reta final da carreira para o Barcelona, com o qual mantinha um idílio pessoal indiscutível.

“Sou encantado pelo Barcelona. Todo mundo sabe, é minha equipe favorita há muito tempo”, explicou em 2011, vestindo a camisa do clube e jogando com Pep (Guardiola) uma partida beneficente. “É uma sensação fantástica, me sinto incrível com esta camisa”, disse, garantindo que a forma de jogar do Barça “sempre me agradou, porque joga como grupo, todos juntos, com criatividade, e eu admiro estas virtudes”.

Tanto foi assim que, em tom de piada, Kobe mandou um recado aos dirigentes do clube: “Estou esperando que toque o telefone. Espero que aconteça, porque agora não estou jogando em nenhuma equipe e, além disso, estou acostumado a viver no estrangeiro”. A ligação, claro, não aconteceu. Ao menos naquele momento...

O encontro voltou a ocorrer na pré-temporada de 2015, quando ele tirou fotos com o elenco e o troféu da Champions League (Messi estava ausente por causa da Copa América) e admitiu o desejo de assistir a uma partida do Barcelona, afirmando que “nunca estive em uma partida no Camp Nou, e o Pau (Gasol) costuma mandar mensagens insistindo para que eu vá. É algo que tenho pendente e me deixa com vontade. Adoro ver o Messi jogar, o Iniesta, toda a equipe”.

A proposta

A ligação, a proposta, chegou finalmente. Foi depois que Kobe gravou um comercial com Leo Messi em que, ele disse, se apaixonou pela personalidade do jogador argentino, e durante o fim de semana que participou de seu último All-Star Game, em fevereiro de 2016, quando já havia anunciado a decisão de aposentar-se.

“Sim, me ligaram... Mas eu não posso jogar. Se eles querem voltar a vencer, não posso jogar com eles”, disse, entre sorrisos, em uma declaração que não deixou muito claro a veracidade de uma oferta que apenas um mês depois foi confirmada pelo Barcelona, em uma informação publicada pelo diário Mundo Deportivo e que o clube azul-grená não desmentiu.

O Barça, que suspirava com a remota possibilidade de repatriar Pau Gasol, ofereceu a Kobe durante o verão (europeu) de 2015 a possibilidade de encerrar sua carreira no clube quando, um ano depois, encerrasse sua passagem nos Lakers. A proposta incluía jogar somente, se assim desejasse, as partidas da Euroliga, para ter a oportunidade de receber homenagens nas quadras mais importantes da Europa (Moscou, Atenas, Istambul, Kaunas, Tel Aviv... Inclusive, Madri), além das partidas em Barcelona e das que quisesse disputar da Liga ACB, na Espanha.

O jogador recusou a oferta, argumentando que não se via nas melhores condições físicas para despedir-se à altura que demandava a aventura e que, não querendo enganar a ninguém, não poderia aceitar.