<
>

Barcelona: Desgaste de Valverde, 'não' de Xavi e a escolha por Setién: em meio a derrotas, como foram os agitados dias do clube catalão

Na segunda-feira (13) à noite, depois de supervisionar os treinos de Barcelona pela última vez naquela manhã, Ernesto Valverde vestiu seu equipamento de ciclismo, montou na sua bicicleta e pegou a estrada. Ele ainda era oficialmente o técnico do Barça, mas o presidente do clube, Josep Maria Bartomeu, já havia lhe informado que seu tempo havia acabado. Agora, Valverde só queria ficar longe de tudo.

Enquanto isso, em toda a cidade, Quique Setién, o futuro substituto de Valverde, movia animadamente os copos em volta de uma mesa. Cada copo representava um jogador de futebol. "Vamos nos divertir muito", disse ele várias vezes. Fontes disseram à ESPN que o ex-técnico do Betis estava tão empolgado com as possibilidades que ainda estava discutindo suas ideias depois da meia-noite, quando os representantes do Barça brincaram que ele deveria ir para casa e dormir.

Setien, um discípulo devoto da abordagem de Johan Cruyff ao jogo, estava explicando aos representantes do Barça seu plano para reacender um time que havia estagnado. Eles ainda estavam no topo da liga, mas haviam se tornado dependentes demais de Lionel Messi. Ao redor dele, o desempenho dos jogadores estava piorando e nenhuma das contratações caras do clube - como Philippe Coutinho (emprestado no Bayern de Munique), Ousmane Dembélé (machucado) e Antoine Griezmann (atuando fora de posição) - deu certo.

O desafio do novo treinador não é pouca coisa. Cruyff pode não ter tido muito mais sucesso do que Valverde e Luis Enrique, que ganharam 13 troféus entre eles, mas ele deixou uma marca.

"Só garanto uma coisa quando assumo um novo clube", disse Setien na terça-feira em sua apresentação: "que joguemos um bom futebol".

Quando o Barça finalmente fez o anúncio oficial, pouco antes da meia-noite, horário local da segunda-feira, de que Valverde estava fora, não foi um choque para muitos. A nomeação de Setien, 61 anos, cuja maior conquista até agora está sendo terminar em sexto na LaLiga com o Betis, levantou algumas sobrancelhas.

Quando o tempo de Valverde se esgotou

A maré estava virando contra Valverde há meses, mas foi o empate por 2 a 2 contra o Espanyol em 4 de janeiro, quando Bartomeu finalmente começou a aceitar que mudanças eram necessárias. Fontes disseram à ESPN que apenas alguns minutos após o apito final, o presidente emitiu um ultimato aos seus confidentes mais próximos: se a equipe não se exibir melhor na Supercopa da Espanha contra o Atlético de Madrid, eles precisariam trocar de técnico.

O Barcelona finalmente jogou um de seus melhores jogos da temporada contra o Atlético em Jeddah, na Arábia Saudita, em 9 de janeiro, mas apesar de liderar por 2 a 1, acabou tomando a virada e perdeu por 3 a 2 após dois gols do Atleti nos nove minutos finais. Para a alta cúpula do time, o jogo evocou lembranças de duas derrotas recentes: as noites terríveis contra Roma e Liverpool na Champions League.

Segundo fontes, o Barcelona vinha sondando possíveis técnicos há um tempo, já planejando substituir o Valverde no verão. Mas a derrota na Supercopa acelerou consideravelmente esses planos, o que foi lamentável para o técnico, devido às circunstâncias do clube quando ele chegou.

Valverde substituiu Luis Enrique em 2017 e imediatamente teve que lidar com a perda de Neymar. Ele não pôde fazer nada para impedir a saída do brasileiro depois que o Paris Saint-Germain pagou sua multa contratual de 222 milhões de euros. O Barça foi então derrotado pelo Real Madrid na Supercopa da Espanha naquele ano, levando Gerard Piqué a lamentar que ele se sentisse "inferior" aos rivais pela primeira vez desde que voltou do Manchester United, em 2008.

No entanto, esses sentimentos não duraram muito. Valverde terminou a temporada 2017-18 com o título espanhol e da Copa, e seguiu com outro título de liga em 2018-19. Mas as eliminações humilhantes na Champions League - para Liverpool e Roma -, juntamente da derrota na final da Copa do Rei para o Valencia, deixaram muitas pessoas dentro do clube pressionando para que ele fosse demitido na última temporada.

Fontes disseram à ESPN que o diretor esportivo da época, Pep Segura, apresentou o nome de Thierry Henry para o cargo. Outros membros do conselho investigaram Roberto Martinez, com o nome de Setién aparecendo em algum lugar da lista. Mas Bartomeu ficou com Valverde por dois motivos: um, ele ainda tinha o apoio dos jogadores; e dois, ele não estava convencido na época pelas alternativas.

Desde então, os resultados foram bons, mas fontes explicam que Bartomeu ficou cada vez mais preocupado com a "imagem" da equipe em campo. Cada exibição decepcionante era outro prego no caixão de Valverde, cada ponto perdido era sua culpa. Os puristas o criticaram pela postura do time, reclamando que o Barcelona não jogava como o Barcelona, ​​mesmo quando vencia.

Bartomeu, cada vez mais sozinho em seu apoio a Valverde, finalmente mudou de ideia depois dos pontos perdidos contra o Espanyol. Fontes dizem à ESPN que ele pediu para que o diretor esportivo, Eric Abidal, intensificasse a busca por um substituto, e quando o Atlético marcou dois gols no fim para eliminar o Barça na semifinal, Bartomeu decidiu que bastava.

O presidente se reuniu com vários jogadores após o jogo em Jeddah para informá-los de seus planos. Fontes relataram que Valverde permaneceu muito apreciado pelo time, mas duas facções se desenvolveram: aqueles que o apoiavam quase incondicionalmente e aqueles que pensavam que o treinamento não era intenso o suficiente e que seu estilo era menos do que o time merecia. Messi e Piqué estavam no primeiro time, ambos os jogadores postando mensagens de gratidão desde a demissão de Valverde. Alguns dos jogadores mais jovens e as novas contratações estavam no segundo.

Ansu Fati, que estreou nesta temporada com 16 anos, foi um dos membros mais emocionados do time quando Valverde, de lágrimas nos olhos, finalmente se despediu na terça-feira. Fontes dizem à ESPN que Valverde solicitou uma conversa individual com o jovem antes de sair, dizendo-lhe para continuar da mesma maneira que ele está, mas pedindo para que ele mantenha os pés no chão e que não mude sua abordagem ao jogo.

O plano de sucessão

No dia seguinte à derrota para o Atlético - e muito publicamente - Abidal e o CEO Oscar Grau viajaram da Arábia Saudita para o Catar para ver Xavi, lendário meia do Barça e agora treinador do Al-Sadd. Eles o encontraram três vezes em Doha. O conselho do clube não apenas o viu preparado o para assumir o cargo, como também o viu como uma ferramenta política útil. Xavi está estreitamente alinhado com Victor Font, que concorrerá para se tornar o próximo presidente do clube nas eleições de 2021.

A princípio, o Barça tentou encobrir seus rastros, informando que Abidal e Grau haviam ido a Doha para ver o machucado Dembélé, que está sendo tratado lá. Isso rapidamente caiu por terra e mais vazamentos do clube logo revelaram a verdade. Mas Xavi disse que não.

A saga foi toda exibida ao ar livre, com Valverde em casa, em Barcelona, ​​descobrindo ao longo que a mídia ia noticiando. Andrés Iniesta, outra lenda do Barça e companheiro de Xavi por vários anos, classificou a atitude do Barça como "um pouco feia".

Para onde eles foram depois? Ronald Koeman não foi oferecido nada, disseram fontes à ESPN, apesar dos relatos que sugeriam o contrário, mas Massimiliano Allegri e Mauricio Pochettino foram considerados. Os comentários do ex-técnico do Espanyol, Pochettino, - "eu trabalharia antes em uma fazenda do que para o Barça" - acabaram dificultando, apesar de ser um bom amigo de Bartomeu e Ramon Planes, que é assistente de Abidal.

O técnico da equipe B do Barcelona, ​​Garcia Pimienta, foi descartado porque alguns dos jogadores da primeira equipe não achavam que ele estava pronto para o salto da terceira divisão espanhola. Um agente de um jogador do primeiro time do Barça chegou a dizer à ESPN que consideraria mudar seu cliente para outro clube se Pimienta recebesse o emprego em período integral.

Setién é o escolhido

Setien passou o fim de semana em Liencres, a pequena vila no norte da Espanha onde mora, esperando por notícias. "[Na segunda-feira] eu estava andando ao lado das vacas na minha vila; agora estou aqui treinando os melhores jogadores do mundo", disse ele em sua apresentação na terça-feira.

O ex-técnico do Betis, cuja carreira se desenrolou principalmente nas ligas inferiores da Espanha, sabia do interesse do Barça, mesmo que ele falasse de sua "surpresa" ao conseguir o emprego. Alguns membros do conselho estavam preocupados com sua falta de experiência na Europa, mas Setien sabia que teria uma chance no trabalho se Xavi recusasse.

De fato, Setien sabia, no domingo, em que pé as coisas estavam. Em algum momento do fim de semana, ele e seu agente receberam uma ligação de representantes de Barcelona. "Você está na lista final, fique calmo e não diga nada", era a essência, disse uma fonte à ESPN.

No fim de semana, enquanto Abidal e Grau conversavam com Xavi, Setien assistiu ao jogo do Sevilla contra o Escobedo, segundo fontes. Ele tinha uma oferta na mesa de um time da Arábia Saudita, mas atrasou sua resposta, na esperança de que o interesse do Barça se concretizasse em algo.

Os representantes do Barcelona estavam convencidos por Setien antes mesmo de sua performance com copos e de falar com jogadores que trabalharam com ele. A ESPN soube que os dirigentes do clube procuraram Marc Bartra e Joaquin, que jogaram com Setien no Betis, para ter uma ideia de suas práticas, nquanto Abidal disse que ficou impressionado com o primeiro treino de Setien.

Antes dessa sessão, Setien foi formalmente apresentado ao elenco no vestiário, ao lado de sua comissão e Bartomeu. Apesar da expectativa de uma troca bastante simples, fontes disseram que Setien aproveitou a chance para deixar uma marca, dizendo: "Se você tiver alguma dúvida, diga-me imediatamente, temos que atacar qualquer problema pela raiz". Ele também explicou seus planos para aumentar a intensidade do treinamento, em uma tentativa de restaurar a "essência" do Barcelona, o ​​trabalho árduo que ajudaria o clube a restaurar sua alta pressão e transição veloz com a bola.

O time recebeu bem a mensagem.

Fontes dizem que a primeira coisa que Setien pediu aos jogadores foi "sacrifício". Ele agendou uma sessão dupla no primeiro dia e os trouxe novamente na quarta-feira, cancelando um dia de folga previamente agendado. Um jogador do time principal disse à ESPN que os treinos foram "intensos", mais intensos do que os de Valverde. Piqué e Arturo Vidal estavam de pé depois de 20 minutos da primeira sessão de terça-feira, com uma lição mais tática a seguir à tarde.

Setien também aproveitou a oportunidade para se encontrar em particular com Messi e o goleiro Marc-Andre ter Stegen, com mais encontros planejados com outros jogadores. Fontes disseram à ESPN que Messi parecia inseguro antes de se encontrar com Setien, mas saiu de seu escritório com um sorriso notável.

Houve também uma transição de poder quando Setien esbarrou em Valverde na terça-feira, quando seu antecessor estava recolhendo seus pertences. Eles se encontraram duas vezes; o primeiro encontro foi supostamente "intenso", mas quando Valverde saiu, eles tiveram uma segunda conversa, com duração de mais de 15 minutos. No final, eles trocaram números e Valverde disse para ele ligar "se ele precisasse de ajuda".

Os planos feitos por Valverde para um jantar de equipe na quinta-feira foram mantidos por Setien. Dambélé, machucado em se tratando no Catar, não pôde comparecer. O também machucado Luis Suárez também estava ausente. Houve discursos das contratações do último verão e uma conversa animada dos capitães do clube sobre onde as melhorias podem ser feitas no futuro.

É aí que Setien entra. Sua tarefa é interromper o deslize do Barça em direção à mediocridade e iniciar a temporada ajudando-os a redescobrir o estilo de futebol jogado sob os comandos de Cruyff e Pep Guardiola. Não será fácil, mas fontes disseram à ESPN que ele está gostando do desafio e acredita que os jogadores vão acreditar nas suas ideias. Ele também precisará deles, porque, como Valverde descobriu, apenas os resultados não são suficientes no Barcelona.