<
>

Troca dupla com Palmeiras por Orejuela? Dirigente do Cruzeiro responde

Em meio à reformulação quase total de seu elenco para disputar o duríssimo 2020, no qual terá o desafio de passar pela Série B, o Cruzeiro tem a possibilidade de se reforçar com dois jogadores do Palmeiras, em uma troca que envolveria o lateral-direito Luis Orejuela.

Em entrevista exclusiva à ESPN, o diretor-executivo de futebol do clube, Ocimar Bolicenho, sinalizou que há a possibilidade da Raposa receber o volante/lateral-direito Jean e o meia Alejandro Guerra numa negociação pelo colombiano de 24 anos, que iria para o clube paulista.

Outra possibilidade é o argentino Allione ser envolvido na operação.

O cartola, porém, ressaltou que ainda não recebeu nada formalizado por parte do Alviverde, apesar de confirmar a existência de conversas entre as diretorias.

"Não tem nenhuma proposta oficial do Palmeiras pelo Orejuela. A gente pode até ter trocado uma ideia sobre este ou aquele nome, mas não tem nada oficial", garantiu.

"O fato é que, no momento, não tem nenhuma operação oficialmente em andamento para a vinda de Guerra e Jean. São conversas que não são oficiais, mas eu te diria que não tem nada", complementou.

Fato é que tanto Jean, de 33 anos, quanto Guerra, de 34, estão fora dos planos do técnico Vanderlei Luxemburgo e buscam recolocação no mercado.

Jean tem contrato com o Palmeiras até o final de 2020, e, se chegasse ao Cruzeiro, reforçaria uma das posições mais carentes da equipe, que no momento só conta com Adriano garantido para a posição.

Isto porque Henrique foi para o Fluminense, Ariel Cabral ainda discute redução salarial com a diretoria e Ederson busca a rescisão contratual na Justiça.

Guerra é outro com contrato apenas até dezembro, e já esteve na pauta do Coritiba, que não deu sequência às negociações por conta do salário do venezuelano.

Orejuela, por sua vez, teve 50% de seus direitos adquiridos pelo Cruzeiro do Ajax-HOL no final de 2019.

Por causa de seu salário, porém, o time de Belo Horizonte busca um empréstimo para o atleta, de forma que outro clube cubra os vencimentos do estrangeiro.

Para a lateral-direita, o Alviverde conta no momento com Marcos Rocha e Mayke.

TETO DE R$ 150 MIL? NÃO É BEM ASSIM...

Segundo Bolicenho, a história de que o teto salarial do clube passou a ser de R$ 150 mil por jogador após a queda para a Série B não é tão verdadeira assim.

Na verdade, o que o Cruzeiro planeja é trabalhar com uma folha salarial de R$ 4 milhões por mês - ou seja, pode haver tanto atletas com vencimentos altos quanto baixos, desde que não estoure o teto de R$ 4 milhões.

"A história do teto de R$ 150 mil por jogador foi a declaração de um dirigente. O que vamos fazer é trabalhar com uma folha salarial dois terços menor que 2019, ou seja, uns 4 milhões por mês", salientou o executivo.

"O desafio não existe teto estabelecido, mas o teto de folha salarial. Cada situação tem sido resolvida de forma individual e temos que enquadrar. Já temos muito bem definidos os nomes que pretendemos que fiquem para a Série B conosco", complementou.