<
>

Técnico do Barcelona é sincerão em apresentação: 'Nunca pensei que seria escolhido. Não tenho um currículo, não tenho títulos'

Apresentado como novo técnico Barcelona, Enrique Setién mostrou grande surpresa com o convite para assumir a vaga deixada por Ernesto Valverde, demitido na última segunda-feira.

"Não demorei cinco minutos para aceitar. Foi uma surpresa quando me disseram ontem porque, embora meu nome tenha saído, eu nunca pensei que o Barcelona decidisse por mim. Não tenho um ótimo currículo, não tenho títulos. A única coisa que mostrei é que eu amo essa filosofia e que Las Palmas, Betis ou Lugo jogavam bom futebol. ”

"Ontem estava passeando ao lado das vacas na minha terra [em Santander] e, hoje, estou aqui [no Barcelona] ao lado dos melhores jogadores do mundo… É o máximo", admitiu.

O novo técnico disse que nutre profunda admiração por Messi e que irá tentar resgatar o jeito do Barcelona de jogar.

"Meu objetivo é ganhar tudo o que pode ser conquistado. Não há outra maneira de melhorar todos os anos e obter o máximo de títulos possíveis além de jogar bem. O melhor caminho para a vitória é jogar bem. É importante associar isso", analisou

O ex-meio-campista de 61 anos, ídolo do Racing Santander, teve trabalhos de destaque nos últimos anos em Las Palmas e Betis, com um futebol focado na posse de bola e na troca de passes.

"Eu sou o primeiro a defender minhas equipes e morrer com minhas ideias. O Barça continuará seu caminho e melhoraremos tudo o que pudermos. Convicções são importantes, mas o trabalho também. Eu tenho coisas muito claras. Eu sempre ouço a todos, mas é difícil me tirar da cabeça das coisas que estou convencido", afirmou.

O técnico não revelou se pretende contratar um substituto para o lesionado Suárez, mas garante que utilizará mais os jogadores revelados na base do Barcelona.

“Este clube tem uma base extraordinária, eu não conheço a maioria, mas eles virão para treinar e os jogadores do primeiro time devem ter certeza de que, se o talento de baixo chegar, é porque fez por merecer. Além disso, não permitirá que alguém de cima relaxe", sentenciou.

Antes de Quique, os favoritos para assumir o cargo eram Xavi Hernández e Ronald Koeman, mas ambos não quiseram. Depois, a lista de desejos passou a ser encabeçada pelo argentino Mauricio Pochettino, ex-Tottenham, que já disse no passado que jamais trabalharia para os culés.