<
>

Boca Juniors não tem técnico, reforços e decisão sobre Tevez a uma semana da volta das férias

play
Personalidade, 'animal', perfeito e encantador: torcida do Boca Juniors opina sobre Guerrero (1:03)

Atacante é sondado para defender os argentinos na próxima temporada (1:03)

"Na segunda-feira, conto a vocês quem será o técnico. Já temos tudo. Até que vai treinar a base", comentou Juan Román Riquelme no dia 4 de dezembro. 23 dias passaram desde lá e o Boca Juniors ainda não definiu o técnico, nem reforços e até não sabe se Tevez continuará no clube em 2020.

O jornal Olé, da Argentina, analisou a situação do clube de Buenos Aires. Com uma semana para o retorno e apresentação do time para a temporada, o Boca não tem nada em mãos.

Junto com o Huracán, são os únicos times que ainda não definiram seus técnicos. Enquanto a contratação de Miguel Ángel Russo parecia encaminhada, por conta da velocidade que as conversas tiveram, uma pausa inesperada na negociação não definiu o rumo do clube até hoje.

Jorge Amor Ameal, novo presidente do clube, já comentou que a situação financeira do Boca não é um "mar de rosas" e até pediu uma auditoria. Mesmo assim, o periódico argentino "estranha" tamanha paralisação do clube.

"Não é uma falta de respeito que perto do Ano Novo, uma figura histórica como Tevez não tenha certeza do seu futuro imediato? Onde está o 'respeito aos ídolos' tão repetido por Ameal e Riquelme? Foi só um slogan da campanha?", questiona a publicação.

"O Boca foi um clube que usou a comunicação como um poderoso elemento de ligação com seus torcedores e sócios, e agora está mudo", completa o jornal.