<
>

Flamengo: Como idolatria por Ronaldinho e Riquelme fez Arrascaeta trocar os cavalos pelo futebol

play
Mundial de Clubes: Mauro Cezar explica 'pouca torcida' de Flamengo e Liverpool no Catar (2:16)

Direto do Khalifa Stadium, em Doha, jornalista da ESPN Brasil detalha série de motivos para os dois clubes não terem mais fãs os acompanhando no país asiático (2:16)

Um dos principais jogadores do Flamengo na temporada, Arrascaeta vem de uma família humilde apaixonada por turfe.

Nascido no interior uruguaio, o meia foi batizado como Giorgian, mesmo nome do cavalo que era um grande parceiro de seu pai - um jóquei amador - em diversas vitórias no Hipódromo de Maro-ñas, em Montevidéu.

"Minha família toda é envolvida com cavalos. Desde pequeno eu tinha meu avô que já era envolvido com isso, temos vários jóqueis na família. É uma outra paixão que tenho também, mas o futebol sempre foi mais forte. Quando era novinho pensava em ser jóquei, mas o futebol foi muito mais forte do que os cavalos", disse o jogador, ao ESPN.com.br.

Muito deste amor de Arrascaeta pelo futebol foi alimentado pela admiração que sentia por seus ídolos de infância.

Ver essa foto no Instagram

Con una verdadera ferrari #vamokemei 🏇👏👏

Uma publicação compartilhada por Giorgian de Arrascaeta (@g10dearrascaeta) em

"Gostava muito do Riquelme quando ele jogava era um cara fenômeno. Admirava muito a forma como tocava na bola e sempre deixava os companheiros sozinhos para fazerem os gols. Também gostava muito do Ronaldinho na fase do Barcelona porque era impressionante, a gente parava vê-lo jogar. A magia dele era incrível. A gente tenta copiar um pouquinho, mas o cara é diferenciado demais, é um grande craque. Infelizmente ainda não os conheci pessoalmente", contou.

Talentoso desde a infância com a bola nos pés, Arrascaeta começou no Club Pescadores Unidos, de Nuevo Berlín, sua cidade natal, com grande incentivo de seu pai. Enquanto começava a carreira no futebol, o meia estudava e ainda trabalhava na padaria da família

Em 2008, ele foi aprovado no Defensor Sporting, de Montevidéu, após fazer testes.

Promovido aos profissionais com 18 anos, Arrascaeta teve excelentes atuações e ajudou a levar o time uruguaio até às semifinais da Copa Libertadores de 2014. No começo do ano seguinte, ele foi para o Cruzeiro.

Com uma personalidade mais tímida, o meia demorou algum tempo para se adaptar ao Brasil. Depois, virou um dos principais jogadores do time celeste na conquista do bicampeonato da Copa do Brasil (2017 e 2018) antes de ser vendido ao Flamengo.

Contratado por R$ 63,7 milhões, chegou em uma negociação turbulenta com o Cruzeiro. Justiça no meio, litígio, reuniões, muito dinheiro e uma negociação arrastada. No fim, o meia deu um recado: "Agora eu sou Mengão!"

Vencedor do Prêmio ESPN Bola de Prata Sportingbet (gol mais bonito e melhor meia), Arrascaeta faturou Carioca, Brasileiro e Libertadores. Neste sábado, ele terá a chance de terminar o ano da melhor forma possível: campeão do mundo!