<
>

Arsenal entrevista Marcelino, ex-Valencia, mas idioma desanima candidato

O Arsenal está à procura de um novo treinador desde o final de novembro, quando demitiu Unai Emery. A diretoria se aproximou de muitos candidatos e o novo nome é de Marcelino Garcia Toral, ex-Valencia e Villarreal.

Nesta semana, o espanhol foi à Londres para conversar pessoalmente com os representantes do clube inglês e retorna para a Espanha nesta terça-feira.

De acordo com fontes da ESPN próximas ao técnico de 54 anos, Marcelino não está otimista de que o emprego lhe será oferecido e acredita que o fato de ser espanhol pode ser uma desvantagem na corrida pelo cargo.

A barreira linguística pode ser o grande empecilho do treinador, mas ele e sua comissão técnica estariam dispostos a aceitar o trabalho na Premier League, principalmente porque já acompanham o Arsenal durante toda a temporada, afirmam fontes.

O comandante foi demitido do Valencia em setembro de 2019 após discordar do dono do clube, Peter Lim, sobre a estratégia a longo prazo e a as políticas de transferências.

Em duas temporadas no comando da equipe, terminou nas quatro primeiras posições da LaLiga e jogou a Champions League, além de conquistar a Copa do Rei contra o Barcelona, o primeiro troféu do time na década.

Inclusive, na última temporada, o Valencia de Marcelino foi eliminado pelo Arsenal de Emery nas semifinais da Europa League.

Além dele, outros candidatos são Patrick Vieira, ídolo como jogador e atualmente no Nice, que também um nome que não tem tanta força internamente e não deve ser a primeira escolha, assim como Mikel Arteta.

Massimiliano Allegri, ex-Juventus e que foi especulado no Manchester United, e Mauricio Pochettino, ex-Tottenham, seriam as prioridades do Arsenal.

Ljunberg recebeu a chance de comandar a equipe interinamente e conseguiu sua primeira vitória contra o West Ham na última segunda-feira. A diretoria analisa o desenvolvimento do time sob o comando do sueco antes de tomar qualquer decisão.