<
>

Manchester City desta temporada dá a Guardiola o seu pior desempenho na carreira

O Manchester City está a 14 pontos da liderança, após 16 rodadas de Premier League. Os Citizens não ficavam tão longe da primeira colocação do campeonato, a esta altura, desde a temporada 2008-09. Era a primeira sob propriedade do 'Grupo Abu Dhabi', que revolucionaria o clube e contrataria Pep Guardiola, em 2016, para levá-lo ao topo do futebol europeu.

A quarta temporada do treinador catalão na cidade é, no entanto, uma verdadeira tortura. Durante sua carreira, ele nunca havia perdido quatro jogos da liga em 16 rodadas, nunca havia somado menos pontos que os atuais 32 e não ficava tão longe do líder como hoje.

“Continuaremos lutando, mas, se não for possível, tentaremos na próxima temporada. O normal é não ganhar a Premier todos os anos ”, explicou Guardiola, após o duelo contra o United, neste sábado, no Etihad - provavelmente inconsciente, no momento, de que apresenta os piores números de liga de sua trajetória na elite, iniciada com o Barcelona na temporada 2008-09.

Naquela campanha, em que terminou com uma tríplice coroa, ele somava 41 pontos após os primeiros 16 jogos, superando o Sevilla em 10, e ainda estava invicto.

Com o Barça, nas mesmas condições de datas, ele sempre esteve em primeiro (co-líder da campanha 2011-12 com o Real Madrid, com 37 pontos) e somente nesse ano ele deixou de vencer LaLiga com o Barça.

Além disso, ele nunca havia perdido mais de uma partida no torneio em 16 rodadas.

Com o Bayern de Munique , ele venceu a Bundesliga em suas três temporadas como treinador. Em todos os anos, nas rodadas 16, ele sempre era líder com pelo menos 42 pontos. Só na campanha de despedida, ele perdeu uma partida (2015-16).

E embora a situação tenha mudado quando ele chegou à Inglaterra, após seu primeiro ano de 'aprendizado', o City entrou em um domínio que dá a sensação de ter terminado neste quarto ano.

Na temporada 2016-17, seu time acumulou três derrotas em 16 rodadas (2 a 0 para o Tottenham, 3 a 1 para o Chelsea, e 4 a 2 para o Leicester), e era quarto na classificação, com 33 pontos - 7 abaixo do líder Chelsea, com 19 gols sofridos, o mesmo que agora.

Ele terminou o campeonato em terceiro com 78 pontos (o pior número da carreira pessoal de Guardiola) atrás de Chelsea (93) e Tottenham (86). Foi, até agora, seu pior desempenho nos bancos.

Líder com 11 pontos à frente do Manchester United, invicto e com 46 pontos, o City venceu a Premier League com absoluto conforto na temporada 2017-18, voltando a ser campeão em 2018-19, embora, neste momento, estivesse em segundo na tabela , com 41 pontos - 1 a menos que o Liverpool.

A invencibilidade foi perdida precisamente na rodada 16, quando caiu (2 a 0) contra o Chelsea, há exatamente um ano, em 8 de dezembro.

Embora tenha fechado mal o mês de dezembro, uma sequência final de 14 vitórias consecutivas deu ao Manchester City um novo título, com um ponto de vantagem sobre o Liverpool de Jürgen Klopp, que agora parece destinado a encerrar seu reinado.

Derrotado na quinta rodada pelo Norwich (2 a 0), na oitava pelo Wolverhampton (2 a 0) e na 12º pelo Liverpool (3 a 1), o nocaute sofrido neste sábado contra o United garantiu o pior início de liga em toda a carreira de Guardiola.

O City entrou em colapso na defesa (19 gols contra) e sofre com as lesões e com o mau desempenho de alguns jogadores, como Fernandinho, Aguero e Gabriel Jesus.

Campeão em oito de suas dez primeiras temporadas como técnico de elite, o técnico catalão só parou de conquistar títulos em seu último ano no comando do Barça (2011-12) e no primeiro no Manchester City (2016-17), mas sua quarta temporada à frente do time inglês, com quem tem contrato até 2021, é a pior de uma corrida que, atualmente, sobrevive agarrada à Champions League, o grande objetivo dos donos de clubes, vista como a a única maneira de salvar esse sentimento de afundamento.