<
>

Rodrigo Caetano fica no Inter, e Palmeiras tem 'caminho livre' para acertar com Cerri para a diretoria

O diretor-executivo Rodrigo Caetano seguirá seu trabalho no Internacional, apesar de ter conversado com o Palmeiras nos últimos dias para assumir a diretoria de futebol no lugar de Alexandre Mattos.

Segundo apurou a ESPN, a decisão de Caetano foi confirmada neste sábado e comunicada à diretoria colorada.

Depois, o próprio Inter comunicou o seguimento do cartola.

"Tenho por princípio cumprir os contratos por onde passei. Entendo que ainda temos muito a fazer pelo Inter e seguirei o trabalho pelo clube em 2020. Comuniquei a diretoria da minha decisão e entrei em contato com os clubes que me procuraram para agradecer aos convites. Já temos o nosso planejamento em andamento para 2020 e a confiança em fazer um trabalho para que o Inter siga evoluindo na próxima temporada”, afirmou Caetano.

Com isso, o Verdão tem agora "caminho livre" para um acordo com Diego Cerri, do Bahia - as tratativas estão bem encaminhadas.

Na última sexta-feira, Cerri se encontrou com a diretoria alviverde e a negociação entre as partes avançou.

A contratação ainda não foi definida, mas está próxima de acontecer.

Com 44 anos, o profissional vem fazendo trabalho de destaque no Bahia nos últimos anos, tendo assumido o clube tricolor no 13º lugar da Série B e hoje disputando na parte de cima da tabela do Brasileirão.

Em 2018, reportagem da ESPN mostrou como ele ajudou gradualmente a equipe de Salvador a "renascer das cinzas" com uma política diferenciada de contratações, barrando os caros "medalhões", e o controle da folha salarial e do tamanho do elenco.

Cerri já fez de tudo um pouco no futebol, tendo trabalhado como preparador físico e também técnico interino quando era empregado do Grêmio Barueri/Grêmio Prudente.

Depois, ele trabalhou como diretor de futebol do Ceará entre 2012 e 2015, acertando em 2016 com o Bahia, equipe na qual está até hoje.

Ao mesmo tempo em que procura um "novo Mattos", o Verdão também busca técnico, já que a posição de Mano Menezes está vaga. O favorito é o argentino Jorge Sampaoli, do Santos - as negociações entre as partes avançaram nos últimos dias.