<
>

Rogério Ceni espera definir futuro no Fortaleza até a próxima semana: 'Porto seguro' ou 'Um projeto maior'

Em entrevista ao jornal Diário do Nordeste publicada neste sábado, o técnico Rogério Ceni revelou que pretende definir seu futuro - dentro ou fora do Fortaleza - ainda na próxima semana.

O treinador conquistou dois títulos pelo Tricolor de Aço em 2019 (Campeonato Cearense e Copa do Nordeste), conseguiu escapar do rebaixamento no Brasileirão e garantiu vaga na próxima Copa Sul-Americana.

"Eu não gosto muito de mudança. Sou um pouco avesso a mudanças. É uma questão muito difícil. Porque se tem duas maneiras de pensar. Aqui, eu acho que nós escrevemos uma história muito bacana, praticamente impossível de repetir. E se pensa um pouco também no que quer caminhar, em novos objetivos...", explicou.

"Riscos que você corre. Lógico que aqui talvez seja um porto seguro a curto prazo, e sair daqui pode estar correndo novos riscos. Mas a gente sempre quer também estar aprendendo, arriscando, conhecendo coisas novas. Minha vida foi assim".

"A vida é feita de ciclos. Vamos analisar com calma e eu espero que, no mais tardar, quarta-feira que vem, possa definir. Até sexta-feira que vem temos o prazo para uma resposta. Eu trabalho sozinho. Não tem ninguém que me representa. As decisões elas são minhas, quando eu tomo. Claro que consultando com as pessoas que trabalham diretamente comigo", completou.

Já há informações de que o Athletico-PR o quer para o ano que bem, mas o treinador nega ter sido procurado até agora.

"Ainda bem que alguns clubes cogitam a gente e querem a gente. Eu fico muito contente e grato. Não tenho nada, absolutamente nada de propostas na mão. Eu só vou conversar com o presidente pra ouvir uma proposta do Fortaleza primeiro, até domingo, ou domingo pós o jogo. E, se existir uma outra proposta, eu vou avaliar", falou.

"Não é a questão financeira que vai decidir. O valor em dinheiro não é o que muda. É o que move. Um projeto. Quem sabe, arriscar um passo maior. Um projeto maior. Mas, assim, aqui já é extremamente audacioso. E eu sempre tenho medo de não conseguir entregar aquilo que o torcedor espera. Já foi um risco muito grande porque 2018 foi fantástico, e 2019 eu acho que foi o maior ano da história do Fortaleza. Mas o futebol é muito efêmero".

Considerado o maior técnico da história do Fortaleza, Ceni admite estar balançado com o apoio da torcida.

"Em conversas com pessoas que conhecem muito mais o Fortaleza, todos falam que é o ano mais especial da história do clube. E eu acho que sim. Porque essa alegria que a gente vê do torcedor, acho que valeu muito. Foi um ano cansativo, pesado, mas que foi retribuído com tudo que a gente alcançou", disse.

Por menos de dois meses, o ídolo do São Paulo trocou o Fortaleza pelo Cruzeiro, que pode cair para a segunda divisão nacional pela primeira vez em sua história.

"Acho que foi uma revitalização essa saída. Foi um desgaste muito grande pra mim, mas também foi algo pra eles (jogadores) notarem diferença de trabalho, e forma de jogar... Acho que eles passaram a acreditar ainda mais no potencial do time nesse retorno".

"Pra mim, não foi uma coisa das melhores, tudo que aconteceu. Mas, pro clube, acho que trouxe um combustível a mais para não somente se salvar como garantir uma vaga numa competição internacional. Ir ao Cruzeiro, é um grande clube, não deixa de ser um grande desafio. E ficar no Fortaleza, dentro do contexto, acho que também era uma coisa excepcional. O importante é que nós terminamos o ano com o Fortaleza e cumprindo acima das metas que traçamos", analisou.