<
>

Chefão do Campeonato Italiano tem ideia para 'acabar com racismo': desligar microfone das arquibancadas

A Série A tem sofrido com casos de racismo quase que semanais e busca uma solução para este grande problema. Nesta terça-feira, o principal executivo do futebol italiano, Luigi de Siervo, apresentou uma ideia "genial".

Em áudio vazado, De Siervo foi flagrado sugerindo, em uma reunião com Atalanta, Inter de Milão, Milan e Udinese, que os microfones perto das torcidas organizadas dos clubes fossem desligados, assim "as ofensas racistas não serão ouvidas pela televisão".

O jornal La Repubblica, um dos principais da Itália, conversou com o dirigente para confirmar a veracidade do áudio e De Siervo disse que apresentou a ideia, mas que o trecho "foi retirado de contexto".

"(O áudio) contém apenas uma parte do argumento, que era muito mais amplo. Estávamos falando sobre o produto da televisão. Partimos do pressuposto que não somos jornalistas em busca de notícias. Produzimos um espetáculo e o valorizamos", comentou.

"Para verificar a regularidade da competição e documentar para fins legais e esportivos existem a polícia, os inspetores da liga, da federação e os arbtiros. É evitar que nos fixemos nos episódios feios que acontecem todos os domingos", finalizou.