<
>

Coutinho refuta retorno ao Barcelona e diz que plano é seguir no Bayern de Munique

O meia Philippe Coutinho, emprestado pelo Barcelona ao Bayern de Munique até o final da temporada, expressou no último domingo seu desejo de permanecer no time alemão depois deste prazo.

No acordo firmado no verão de 2018 pelas equipes, os bávaros possuem uma opção de compra de 120 milhões de euros (R$ 560,64 milhões) ao final do período de empréstimo.

Caso ela não seja exercida, o brasileiro retornará ao Camp Nou, já que tem contrato com o Barça até 2023.

A intenção de Coutinho coincide com a vontade dos blaugranas, que recuperariam assim o dinheiro investido em sua contratação do Liverpool, em janeiro de 2018.

Os catalães entendem que o rendimento do armador vestindo a camisa culé ficou muito longe das expectativas, e seu aproveitamento não é contemplado nos planos esportivos do futuro do clube.

Até o momento, porém, Philippe vem demonstrando irregularidade também no Bayern, sem conseguir repetir o mesmo nível dos tempos de Premier League.

"Eu me sinto muito confortável aqui (no Bayern). Meus planos são de ficar aqui por um ano e estou concentrado nisso. Mas, se tudo se encaixar, eu gostaria de ficar (para a temporada 2020/21)", disse Coutinho, durante visita do elenco ao Kasing, um fã clube de torcedores do time alvirrubro.

Em Munique, a adaptação do brasileiro lembra o que ocorreu anteriormente com James Rodríguez, que foi cedido por empréstimo pelo Real Madrid com opção de compra, algo que o time alemão não chegou a exercer.

O colombiano passou duas temporadas emprestado ao Bayern, alternando grandes partidas e atuações sofríveis. Ao final do período, o gigante da Allianz Arena não demonstrou interesse em exercer a cláusula de 42 milhões de euros (R$ 196,22 milhões), e James retornou ao Real.

"Dar dois ou três passes mágicos não é o suficiente. Coutinho é um 'corpo estranho' dentro do Bayern. Quando você tem um jogador assim na equipe e ele não consegue mostrar seu diferencial, então é certeza que ele tem um problema, porque só consegue demonstrar metade do que ele é", sentenciou o ex-jogador Dietmar Hamman, ídolo dos bávaros e hoje um dos comentaristas mais influentes da Alemanha.

O diretor esportivo do Bayern, Hasan Salihamidzic, concordou com Hamman, salientando que Coutinho "ainda está longe de demonstrar seu 100%" na equipe.

No Barça, porém, há a confiança que, após a parada de inverno da Bundesliga, o brasileiro conseguirá demonstrar seu melhor futebol sob as ordens de Hans-Dieter Flick, que assumiu o comando da equipe após a demissão de Niko Kovac.

Vale lembrar que, até hoje, a contratação mais cara da história do Bayern foi de 80 milhões de euros (R$ 373,76 milhões, na cotação atual), pagos ao Atlético de Madrid pelo lateral Lucas Hernández.

Portanto, se quiser de fato ficar com Philippe, os bávaros terão que romper seu "teto" em 40 milhões de euros (R$ 186,88 milhões).