<
>

Brasil exporta jogadores como ninguém para Europa, mas não lidera na elite; veja ranking

O Brasil sempre foi um mercado exportador de jogadores de futebol – basta ver quantos atletas desfalcam os clubes nacionais e rumam para a Europa toda temporada. De fato, o país é o que mais tem jogadores estrangeiros jogando no velho continente.

Segundo estudo divulgado pelo CIES (Centro Internacional de Estudos do Esporte) nesta segunda-feira, o Brasil possui 466 jogadores atuando nas 31 principais ligas da Europa, a maior marca do mundo, o que representa 10,3% de todos os estrangeiros.

No segundo lugar vem a França, com 350 atletas. A Espanha completa o pódio, com 224 jogadores.

O Brasil tem ao menos um representante em quase todas as 31 maiores ligas da Europa, existindo apenas uma exceção: a Premiership da Escócia.

Na elite, Brasil não lidera

Ao se excluir as ligas menores e considerar apenas os cinco maiores campeonatos da Europa, a figura muda.

Levando em conta somente a elite de Inglaterra, Espanha, Alemanha, Itália e França, quem tem mais estrangeiros atuando é a própria França, com 115. O Brasil aparece na segunda colocação, com 104, seguido por Espanha, que tem 67, e Argentina, com 60.

Os rivais sul-americanos, por sinal, ficam apenas na 10ª colocação na lista geral, com 133 jogadores.

Já a França é quem mais têm estrangeiros na Premier League (41), Bundesliga (28) e LaLiga (25), enquanto o Brasil lidera na Serie A (33) e Ligue 1 (25), além de Portugal, Rússia, Ucrânia, Bulgária e Finlândia.