<
>

Não é só Benzema: jornal lista astros que são desprezados por grandes seleções

Aproveitando a "Data Fifa", o jornal espanhol Marca traz uma lista com grandes jogadores que são desprezados pelas seleções nacionais. Não estamos falando de atletas que se retiraram de suas seleções, mas de astros que estariam dispostos a ir, mas não são chamados.

Seja por problemas com colegas de equipes, brigas com treinadores ou simplesmente por opção técnica.

O caso mais midiático - e antigo - é o de Karim Benzema. Após o famoso "caso Valbuena", o jogador do Real Madrid deixou de ser convocado pela seleção francesa.

Deschamps não conta com o jogador.

Benzema, que marcou 27 gols em 81 jogos pela França, mas não atua com a seleção desde 8 de outubro de 2015, em um amistoso contra a Armênia, no qual marcou duas vezes.

Outros jogadores importantes também não costumam ser chamados pelos atuais campeões do mundo: Alexandre Lacazette, autor de 19 e 17 gols (respectivamente) nas últimas duas temporadas com o Arsenal (e 37 no anterior com Lyon), não joga com o atual campeão mundial desde 14 de novembro de 2017 , em um amistoso contra a Alemanha. Adrien Rabiot, da Juventus, e Anthony Martial, do Manchester United, não atuam desde 27 de março de 2018.

Na equipe espanhola, a ausência mais marcante nos últimos meses é a de Koke. O capitão do Atlético de Madrid, que esteve presente nas Copas do Mundo de 2014 e 2018 e na Euro 2016, não joga com seleção desde 11 de outubro de 2018, em um amistoso contra o País de Gales.

Cesar Azpilicueta, capitão do Chelsea, defendeu 25 vezes a Espanha e participou dos dois últimos mundiais não joga desde 18 de outubro de 2018.

Pelo Brasil, Marcelo é o caso mais emblemático. 58 vezes titular do Brasil e presente nas duas últimas Copas do Mundo, o lateral-esquerdo não joga desde 6 de julho de 2018, quando foi eliminado pela Bélgica nas quartas de final do Mundial. David Luiz (50 jogos pelo Brasil), do Arsenal, jogou pela última vez em um amistoso contra a Austrália, em 13 de junho de 2017.

Na Argentina, a ausência de Mauro Icardi tem sido objeto de debate há algum tempo. O atacante do PSG fez apenas oito partidas com a equipe nacional em sua carreira, a última em novembro de 2018. Autor de 124 gols com a Inter e nove gols em 10 jogos este ano no PSG, Icardi nunca esteve em uma grande competição com a Argentina, onde sempre havia muitos rumores sobre seu mau relacionamento com Messi pelo "caso Wanda Nara".

Na Alemanha, Joachim Löw decidiu parar de convocar três campeões mundiais históricos: Mats Hummels, Jérôme Boateng e Thomas Muller.

Na Bélgica, Roberto Martínez não convoca Radja Nainggolan desde 27 de março de 2018. O técnico espanhol não levou o meio-campista para a Copa do Mundo na Rússia e parece não ter mudado de ideia mesmo com o bom desempenho do "Ninja" no Cagliari.

Na Inglaterra, Jack Grealish, do Aston Villa, nunca foi convocado por Gareth Southgate.

Por fim, outro caso bem conhecido é o de Carlos Vela. A relação do atual jogador do LAFC com a seleção mexicana sempre foi muito peculiar. Vela não é chamado pelo México desde a última Copa do Mundo, embora tenha garantido que "não esteja brigando com o técnico Tata Martino".