<
>

Libertadores: Presidente do River Plate reclama de abismo financeiro atual em relação ao Flamengo

play
Árbitro da final da Libertadores é definido, e Nicola explica 'primeira vitória' do Flamengo (1:39)

Roberto Tobar apitará o jogo do time rubro-negro contra o River Plate (1:39)

Em entrevista publicada nesta quarta-feira pelo jornal Clarín, o presidente do River Plate, Rodolfo D'Onofrio, reclamou do abismo financeiro que existe atualmente entre sua equipe e o Flamengo, adversário do clube argentino na final da Libertadores.

Questionado se está incomodado com o favoritismo dado ao Fla tanto pela imprensa brasileira quanto argentina, o dirigente afirmou que está gostando da situação.

"Tem que jogar. As partidas são jogadas no campo. Mas é certo que o Flamengo tem uma receita muito maior que qualquer clube argentino... Quanto a isso não há dúvida", afirmou.

"De direitos de televisão, eles arrecadam US$ 50 milhões [R$ 208,50 milhões], enquanto nós ganhamos entre US$ 4 e 5 milhões [R$ 16,68 milhões e R$ 20,85 milhões]. Também tem a questão da Copa Argentina, na qual recebemos US$ 300 mil [R$ 1,251 milhão] como prêmio, enquanto na Copa do Brasil pagam US$ 12 milhões [R$ 50,04 milhões]", reclamou.

"Há uma diferença econômica muito grande, mas nós temos muita fé. Vai ser uma grande final. E para nós está muito bom que eles se achem favoritos", decretou.

Perguntado se o técnico Marcelo Gallardo é o grande trunfo do River para ser campeão, o presidente disse que não é só o treinador que resolve.

"O River tem Gallardo, tem seus jogadores, sua torcida. River é um todo. Somos um grupo muito unido", discursou.

"Podemos ser batidos, como aconteceu no domingo contra o Rosario Central, mas a equipe está muito bem, e os dirigentes e torcedores estão muito unidos", complementou.

A grande final da Libertadores será no dia 23 de novembro, no Estádio Monumental de Lima, no Peru.

O River Plate é o atual campeão do torneio, após ter vencido o rival Boca Juniors na última decisão.