<
>

Quem substituirá Jill Ellis? Veja os favoritos e a opinião de Rapinoe

Apesar de Jill Ellis continuar na Federação norte-americana como embaixadora, a seleção dos EUA ficará sem comando pela primeira vez desde 2014.

Mas quem substituirá a bicampeã mundial?

Dois nomes aparecem na lista, e ambos da NWSL, liga nacional de futebol feminino: Vlarko Andonovski, do Reing FC, e Laura Harvey, do Utah Royals.

Nenhum dos dois tem experiência internacional, mas, por outro lado, treinaram algumas das atletas da seleção, já que todas atuam na liga do país.

Megan Rapinoe disse que ela e outras atletas veteranas foram consultadas por Kate Markgraf, nova coordenadora, sobre a procura nesta nova fase da seleção.

“Falando dos dois nomes da NWSL que estão sendo mais cotados, eu sou uma das jogadoras que foi treinada por ambos”, afirmou Rapione. “Acho que ela (Kate Markgraf) queria um feedback nesse aspecto. E, no geral, o que concordamos são em algumas características, falamos o que gostamos em um técnico ou não”.

A zagueira Becky Sauerbrunn também treinou sob comando de Andonovski e, atualmente, é da equipe de Harvey, em Utah.

“Ela gosta de tática. Acho que ela tem uma boa filosofia sobre como jogar o jogo e como colocar as jogadoras na posição correta. Se você der um quadro com Xs e Os, ela faz qualquer coisa. Ela derruba qualquer um. Me senti muito preparada em todos os jogos que fiz com ela. Eu sei como queremos jogar, sei como os outros jogam e como contra-atacar isso”, afirmou Sauerbrunn”.

Megan Rapinoe também comparou os estilos de jogo entre Andonovski e Harvey.

“Ele é um pouco mais direto e firme que Laura, mas as atletas ainda gostam de jogar por ele. Acho que ele tem a habilidade única de tirar o melhor de cada atleta. Ele trata todo mundo igual, mas entende que não somos iguais”, completou a atual melhor jogadora do mundo.

Rapinoe ainda acrescentou que qualquer um dos dois que forem selecionados, será uma fase divertida de jogar.

A ideia da USWNT é definir o nome antes do confronto com a Suécia, em novembro. A maior preocupação é com o tempo de trabalho e treinos para o(a) novo(a) comandante, já que em 2020 acontecerão os Jogos Olímpicos em Tóquio.