<
>

Técnico do PSG admite 'histórico ruim' de Neymar, mas elogia: 'Ele realmente é um cara legal'

Em entrevista ao canal beIN Sports, o técnico do Paris Saint-Germain, Thomas Tuchel, falou bastante sobre sua relação com o atacante Neymar, principal e mais caro jogador da equipe.

De acordo com o treinador alemão, "nada mudou" em seu relacionamento com o brasileiro após a "novela" frustrada do retorno do camisa 10 ao Barcelona.

E, ao mesmo tempo em que admitiu que Ney não tem um histórico dos melhores no PSG, ele gosta muito do atleta, por se tratar de "um cara legal".

"Entre nós, não mudou muita coisa. Eu sabia que ele queria deixar o clube e ele sabia que eu era contra isso. Para mim, não era nem o momento certo e nem a decisão correta a ser tomada. Ele sempre soube que eu, como técnico do PSG, não queria que ele saísse. Mas ambos sabíamos que, no fim das contas, não interessavam nem a minha decisão e nem a dele", afirmou.

"Havia a necessidade do clube fixar um preço para a transferência, e nós ficamos de acordo. Eu e Neymar tínhamos consciência de que as coisas não seriam resolvidas a nosso nível. E o nosso relacionamento não poderia ser afetado por conta disso, porque sabíamos que havia a possibilidade da gente continuar trabalhando juntos. Por isso, seria estupidez ter arruinado tudo", acrescentou.

"Esse rapaz tem um bom histórico. Pode ser difícil imaginar quando você vê as coisas de fora, mas ele é um cara bem legal. Não é difícil de chegar nele e conversas para convencê-lo a fazer a coisa certa", salientou.

"Quando toda a 'novela' acabou, em brinquei e disse a ele que ele podia achar que as maiores dificuldades ficaram para trás, mas que agora ele teria que lidar comigo e eu não sou fácil. 'O mais difícil está por vir!'", sorriu.

"A situação que Neymar tem agora com os torcedores não é simples. Os fãs expressam suas opiniões, e eu entendo todos, absolutamente. Eles têm o direito de dizerem o que pensam, são muito orgulhosos desse clube. Não foi fácil para a torcida ouvir repetidamente, semana após semana, que um de seus jogadores quer deixar o time", lembrou.

"Eu disse a Neymar que ele terá que enfrentar essa realidade. Agora, meu trabalho é incentivá-lo e encorajá-lo, para que ele volte a desempenhar seu grande futebol", finalizou.

Desde que voltou a jogar pelo PSG, Neymar acumula 4 gols em 5 partidas pela equipe.