<
>

Dembélé foi expulso por dizer que juiz 'era muito ruim', e jornal se revolta: 'Igual chamar de filho da p*'

A expulsão do atacante Ousmane Dembélé no último domingo, durante goleada por 4 a 0 do Barcelona sobre o Sevilla, deixou o jornal Mundo Deportivo revoltado.

Isto porque são enormes as chances do francês ficar de fora do clássico decisivo contra o Real Madrid, no dia 26 de outubro, já que ele pode ser suspenso por duas partidas pelo Comitê Disciplinar de LaLiga, o que o tiraria dos duelos contra Eibar e Madrid.

O diário, que é conhecido por ser muito próximo à diretoria do Barça, lembrou que, de acordo com o Código Disciplinar do campeonato, chamar um árbitro de "muito ruim", como fez Dembélé, e de "filho da p***" acarretam punição igual, já que ambas as ofensas se enquadram no Artigo 117, que fala em "menosprezo à arbitragem".

Isso ocorre desde 2012, quando o Comitê de Competições entendeu que "filho da p***" era "menosprezo" e não "insulto" - o segundo caso acarretaria gancho ainda maior.

O caso emblemático ocorreu em março daquele ano, durante um jogo entre Real Madrid e Villarreal.

Na ocasião, o zagueiro Pepe, da equipe merengue, chamou o juiz Paradas Romero de "filho da p***", sendo expulso e depois julgado pela ofensa.

O Comitê, porém, encaixou o xingamento de Pepe como "menosprezo", criando jurisprudência que é usada até hoje.

Se tivesse sido enquadrado em insulto, Pepe poderia ter sido suspenso por até 12 partidas.

Dembélé, por sua vez, será enquadrado também no Artigo 117, que prevê até três duelos de suspensão por "dirigir-se a um árbitro, dirigente ou autoridade desportiva com atitudes de menosprezo ou desconsideração".

Caso pegue a punição máxima, ele perderá também o jogo contra o Valladolid, dia 29 de outubro.