<
>

Técnico do Milan filosofa sobre chance de ser demitido: 'Não devemos raciocinar consigo mesmo, mas conosco'

play
Exclusivo - Klopp em uma palavra, o mais estiloso no Liverpool, risadas e mais: Alisson responde TUDO de 'bate-pronto' (4:32)

Goleiro do Liverpool e da seleção brasileira concedeu entrevista à ESPN Brasil (4:32)

Enquanto os rivais locais da Inter de Milão voam com 100% de aproveitamento na Série A italiana, o Milan vai de mal a pior e já acumula quatro derrotas em seis jogos disputados. A má fase parece só piorar e o técnico Marco Giampaolo não consegue desviar da pressão de deixar o cargo.

“Se me sinto em risco? Não devemos raciocinar consigo mesmo, mas conosco. Tenho a responsabilidade de fazer o bem pelo Milan, não por mim. Interesses individuais não contam para nada”, disse o treinador em entrevista coletiva.

O Milan perdeu os três últimos jogos no Campeonato Italiano – contra Fiorentina, Torino e Inter –, mas Giampaolo acredita no potencial de seus jogadores e não planeja jogar a toalha.

“As derrotas minam o moral dos jogadores. É preciso reconstruir o aspecto mental, entender o que está errado”. E completou: “Na semana, fizemos todas as estratégias possíveis. Essa equipe tem muito espaço para melhorias, a verdadeira batalha a se vencer é do envolvimento mental”.

O elenco também está fechado com o treinador. Como informa o periódico italiano Gazzetta dello Sport, o experiente Pep Reina e o capitão do time Alessio Romagnoli estão com Giampaolo “até a morte”, o que dá forças a este.

“Os jogadores devem dar a vida pela camisa, não por mim. Eu sempre sinto muito o entusiasmo por eles, expresso por muitos jogadores, mesmo em particular. O time acreditou e acredita em mim. Então, obviamente, as derrotas minam o caminho e agora você tem que ter cuidado com detalhes e detalhes”.