<
>

Manchester United: Lindelof saiu do ostracismo e conquistou Jorge Jesus antes de ir à Inglaterra

play
As 32 seleções da Copa: conheça tudo da Suécia, que tem todos seus jogadores atuando fora do país (0:29)

Forsberg, meia do Red Bull Leipzig, é o nome da seleção que não terá Ibrahimovic (0:29)

Victor Lindelof foi contratado no meio de 2017 por 30,7 milhões de libras esterlinas (cerca de R$ 160 milhões) pelo Manchester United, que empatou em 0 a 0 contra o AZ Alkmaar-HOL pela Europa League, nesta quinta-feira.

Após ser revelado no Vasteras SK, da Suécia, o defensor foi para o Benfica na temporada 2012/2013, mas sofreu bastante no começo por não falar português.

“Não conseguia comunicar com os jogadores e sentia solidão. Mas falei com o meu irmão mais velho e ele disse que foi por aquilo que trabalhei toda a minha vida. Disse-me que as coisas iriam melhorar”, contou o sueco ao Daily Mail.

O defensor ainda permaneceu um bom tempo na equipe B antes de ser descoberto pelo time principal.

"Ele não era titular do Benfica B. Ele não tinha um papel de destaque, tanto é que treinou muitas vezes conosco. O [técnico] Jorge Jesus [atualmente no Flamengo] precisava de jogadores da base para completar as atividades e o treinador da equipe B mandava os meninos que não iriam jogar no final de semana", disse o ex-lateral-esquerdo Guilherme Siqueira, ao ESPN.com.br.

O brasileiro, que atuou no time lisboeta entre 2013 e 2014, lembra que o sueco chamou atenção durante as atividades.

“O Lindelof treinou muitas vezes conosco, mas entrar em um jogo muda muita coisa. Ele foi uma vez para o banco, machucou Garay e Jardel. Daí, ele teve a chance e foi bem. Tudo isso para um jovem que está com um tesão do caramba para jogar entre os melhores. Se tudo vai bem, as coisas acontecem com naturalidade. Precisa ter bastante cabeça para ter equilíbrio e regularidade. Muitos jogadores aparecem bem, mas depois caem", comentou.

O defensor conseguiu ter algumas chances na equipe principal na temporada.

"Ele era muito jovem e estava esperando o momento dele. Esse primeiro impacto que vai ditar a trajetória do menino dentro do clube. Uma estreia desastrada pode colocar tudo a perder porque pode acabar com a confiança", analisou.

Para que isso não ocorresse, Lindelof contou com a ajuda de dois zagueiros brasileiros.

"Ele é um garoto tranquilo e quando vinha treinar era muito educado e respeitava todo mundo. Como tem que ser. Ele parecia assimilar o máximo possível de informações. Ele apendeu demais com Jardel e Luisão”, explicou.

“O Luisão ensinava muito a meninada que está por lá da melhor maneira possível. Ele sempre foi o paizão. É muito respeitado em todo clube por torcedores, dirigentes e jogadores", elogiou.

Após dois jogos pelo time principal, Lindelof voltou para o Benfica B, no qual ficou mais dois anos, antes de se firmar de vez nos Encarnados na temporada 2104/2015. O sueco fez duas ótimas temporadas e conquistou o bicampeonato português.

Contratado pelo Manchester United há três anos, ele demorou no começo para se firmar nos Red Devils. Apesar dos altos e baixos, Lindelof foi aos poucos se firmando na defesa.

Mesmo há quase três anos na "Terra da Rainha", ele mostrou em março de 2019 que ainda não se esqueceu dos palavrões aprendidos em Portugal

Em uma partida da Copa da Inglaterra contra o Wolverhampton, o sueco xingou um jogador lusitano dos Wolves.

"Vai tomar no...Filho da p...".

Campeão europeu pela Suécia

Lindelof é considerado também um bom jogador de hóquei no gelo quando mais jovem e chegou a participar de sessão de treinamento com o Manchester Storm.

Pela seleção sueca de futebol, o defensor foi campeão do Europeu Sub-21 e converteu o último pênalti contra Portugal na final da competição.

Em 2016, o zagueiro foi chamado pela primeira vez à seleção principal, estreando em uma derrota por 2 a 1 para a Turquia. Ele jogou três jogos na fase de grupos da Eurocopa 2016.

Apesar de ter sido convocado para as Olimpíadas de 2016, o Benfica vetou sua participação. Presente em toda campanha das Eliminatórias para a Copa do Mundo, ele foi titular no Mudial da Rússia.

"Detesto perder, é a pior coisa que me pode acontecer. Quero sempre ganhar e depois de uma derrota consigo estar mesmo bastante irritado por um bom bocado. A minha mulher que o diga! Aliás, ela não me fala durante um bom tempo quando chego em casa. Adoro ganhar, mas no dia seguinte tens de olhar em frente e trabalhar no duro para o próximo jogo", declarou Lindelof.