<
>

Meninos decidem, Corinthians derrota Bahia pelo Brasileiro e esfria crise antes de decisão

O Corinthians conseguiu reagir e derrotar o Bahia por 2 a 1, em Itaquera, marcando o segundo gol justamente no instante em que vivia seu momento mais delicado no confronto deste sábado pelo Campeonato Brasileiro. O time acabara de sofrer o empate, o estádio ficando em silêncio e a crise iniciada na última quarta-feira --quando foi derrotado em casa pelo Independiente de Valle-- tinha tudo para se acentuar.

Foi em uma jogada de Pedrinho, 21, que terminou em gol de Clayson, 24, justamente os mais jovens do time titular, que saiu o gol da vitória. A partida estava com 29 minutos da etapa final. O que se viu depois foi uma "retranca" que fez lembrar os bons tempos do clube na década.

É curioso que o tento da vitória tenha saído dos pés dos "meninos", considerando a avaliação do técnico Fábio Carille na última partida. Pedrinho foi um dos melhores do jogo deste sábado, criando jogadas que faziam o Corinthians sair do óbvio repertório ofensivo.

Clayson foi bem, embora tenha tido uma infelicidade na partida. Foi em lance que derrubou Gregore na área que o time alvinegro sofreu o empate. Arbitragem chegou a conferir a jogada pelo VAR (árbitro de vídeo) e deu um pênalti muito contestado em Itaquera.

É bom lembrar que o Corinthians também abriu o placar em um tento de pênalti. Foi com Vagner Love, aos 35, durante o primeiro tempo. Penalidade sofrida por Ralf. Os dois são os veteranos do elenco.

Com o triunfo, o Corinthians passa a somar 35 pontos e está na quarta colocação. Com 31, o Bahia é o sétimo.

A vitória veio em boa hora para os corintianos. No dia anterior, cerca de 60 membros da principal organizada do clube (Gaviões da Fiel) protestaram no CT Joaquim Grava e cobraram a comissão técnica e os jogadores. Antes do duelo contra o Bahia, novas cobranças.

O time conseguiu esfriar a crise que vinha batendo na porta e foca agora na viagem para o Equador. Na próxima quarta-feira, enfrentará o Independiente del Valle pela semifinal da Sul-Americana. Precisa vencer por três gols de diferença para chegar à final...

Mudanças

Após a derrota para o Del Valle, Fábio Carille manteve o que havia prometido e não poupou seus titulares diante do Bahia. Mas fez trocas. Escalou Carlos Augusto no lugar de Danilo Avelar, optou por Ralf e Ramiro no lugar de Gabriel e Junior Urso, este fora por suspensão, respectivamente.

Vale citar que Ramiro não iniciava um jogo como titular desde o confronto contra o Avaí, em 25 de agosto. Depois participou de 9 e 6 minutos, respectivamente, contra Fluminense e Ceará, amargando o banco de reservas nas duas partidas seguintes.

Na linha de frente, optou por Sornoza na vaga de Mateus Vital.

Cobrança e bolas na trave

O início da partida foi marcado por uma cobrança por parte das torcidas organizadas, que pediram raça ao time de Carille e prometeram estar junto. Um dos gritos foi "joga com raça que a Fiel está com você".

O incentivo ajudou. A equipe entrou ligada, Foram duas bolas na trave em menos de dez minutos.

Primeiro aos 3, com Clayson finalizando após cruzamento de Pedrinho. Depois, aos 7, Sornoza carimbou a outra trave da meta de Douglas Friedrich. A jogada começou também com cruzamento de Pedrinho e passou por Clayson antes de chegar aos pés do equatoriano.

Pênalti? Chama o VAR

Aos 35, Ralf desarmou Élber dentro da área corintiana, derrubando o atacante do Bahia. O árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva deixou a jogada prosseguir --resultou em um contra-ataque do time da casa e em um pequeno bate boca entre os rivais-- até consultar o VAR.

Freitas da Silva foi até a cabine e reviu o lance pelo vídeo. Achou que não foi pênalti.

O jogo prosseguiu, o Corinthians chegou ao ataque com um chute de Pedrinho, que passou rente à trave, até que novo lance na área fez o árbitro consultar novamente o VAR. Dessa vez foi do lado do ataque alvinegro. Ralf cruzou e a bola bateu na mão de Juninho.

A arbitragem entendeu que o toque de mão mudou a trajetória da bola e, apesar dos protestos dos visitantes, marcou pênalti. Na cobrança, Vagner Love chutou forte no canto direito do goleiro. Sem chances de defesa: 1x0 para o Corinthians, em Itaquera.

Nocaute

Aos 5 minutos do segundo tempo, um lance curioso em Itaquera. Nino Paraíba arriscou o chute de fora da área e acertou o rosto do equatoriano Sornoza em cheio. O jogador caiu no chão, quase apagado. A partida foi interrompida para ele ser atendido.

Foram apenas alguns minutos de susto. Pouco depois já estava pronto e, ao entrar de novo jogo, quase participou de uma jogada em que poderia resultar no segundo gol corintiano. A defesa do Bahia conseguiu parar com falta a tentativa dos donos da casa.

Cássio!!! Mas 'pera', é pênalti!!!

Se é lance confuso/curioso, então vale explicar o que aconteceu aos 14 minutos. Foi um lance de ataque do Bahia em que Artur arrancou e tocou para Gregore, na entrada da área. Antes de conseguir finalizar, ele foi derrubado por Clayson, que acabou jogando a bola contra o próprio gol. A sorte foi que Cássio estava atento e saltou para espalmar e mandar a bola para escanteio.

O lance fez a torcida vibrar e exaltar o goleiro, mas o árbitro parou a jogada para analisar o VAR.

O objetivo foi ver o lance em que Clayson derrubou Gregore. Após quase três minutos, concluiu que houve pênalti. Marcou!

Gilberto foi quem fez a cobrança e igualou o placar na Arena: 1 x 1!

Vibra a Fiel

No momento em que o estádio já estava se silenciando, muitos torcedores demonstravam preocupação e até temor de um novo resultado ruim, o Corinthians chegou ao segundo gol. Foi aos 29 minutos, com Clayson.

Foi em uma jogada criada por Pedrinho que a bola acabou na rede adversária. Clayson evitou Douglas e dividiu com Nino Paraíba. A bola chegou a ameaçar não entrar, mas entrou e acabou estufando a meta na tentativa do lateral de afastar a bola.

FICHA TÉCNICA:
CORINTHIANS 2 X 1 BAHIA
CAMPEONATO BRASILEIRO 2019 - 20ª RODADA

DATA: sábado, 21 de setembro de 2019
HORÁRIO: 21h30 (de Brasília)
LOCAL: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
PÚBLICO: 29.811 presentes (29.569 pagantes)
RENDA: R$ 1.489.768,50
ÁRBITRO: Dewson Fernando Freitas da Silva
ASSISTENTES: Eduardo Goncalves da Cruz (MS) e Marcio Gleidson Correia Dias
GOLS: Vagner Love (COR), aos 43 minutos do 1º tempo; Gilberto (BAH), aos 18 minutos, e Clayson (COR), aos 29 minutos do 2º tempo
CARTÃO AMARELO: Clayson e Vagner Love (COR); Artur, Lucas Fonseca, Flávio e Nino Paraíba (BAH)

CORINTHIANS: Cássio: Fagner, Manoel, Gil e Carlos Augusto; Ralf e Ramiro (Jadson); Pedrinho, Sornoza e Clayson (Janderson); Vagner Love (Gustagol). Técnico: Fábio Carille

BAHIA: Douglas Friedrich; Nino Paraíba, Lucas Fonseca, Juninho e Moisés; Flávio (Guerra), Gregore e Ronaldo (Fernandão); Artur, Gilberto e Élber (Arthur Caíke). Técnico: Roger Machado