<
>

Jornal diz que Tevez é o 'ídolo mais reserva' do Boca: 'Não há muitos que tenham passado por isso'

A situação do atacante Carlitos Tevez no Boca Juniors não é das mais agradáveis.

Um dos maiores ídolos da história do clube, o atleta de 35 anos vem sendo relegado ao banco de reservas na atual temporada pelo técnico Gustavo Alfaro, registrando apenas dois gols em oito jogos até agora.

O jornal Olé, por sua vez, mostrou perplexidade com isso, já que, quando assumiu o Boca, em janeiro deste ano, Alfaro afirmou que Tevez seria sua "bandeira" em campo.

Em artigo publicado nesta segunda-feira, o diário ressaltou que o momento vivido por Carlitos foi experimentado por poucos atletas na história xeneize.

"Tevez é o 'ídolo mais reserva' da história. Já não conta como titular para Alfaro, e tampouco está entre as primeiras opções no banco. De todos os minutos que teve chance de atuar neste ano, esteve em campo apenas na metade. Não há muitos craques que tenham passado por algo assim no Boca...", lembrou o veículo.

"O que Tevez está vivendo não aconteceu com Juan Román Riquelme, nem com Martín Palermo e tampouco com Rolando Schiavi e Hugo Ibarra", salientou o Olé, recordando outros ídolos que atuaram em idade avançada pelo Boca, mas sempre tiveram oportunidades como titulares e jamais foram relegados ao banco.

Gustavo Alfaro, por sua vez, garante não ter nada contra Carlitos, mas ressaltou que quem tem que se adequar à sua equipe é Tevez, e não o contrário.

"Entendo a trajetória dele, a hierarquia que ele possui e a liderança que tem sobre todos, mas isso aqui é uma equipe. E não é porque Carlos não foi titular contra River Plate e Estudiantes que deixou de ser um líder para nós", afirmou.

"Os jogadores têm que estar preparados para ajudar a equipe no momento que o técnico decidir. E os treinadores têm que fazer o que acham que é o certo. Caso contrário, perdemos duas vezes: porque perdemos e porque não fizemos o que pensávamos que deveríamos fazer", complementou.