<
>

Flamengo vence o Santos com golaço de Gabigol e leva 'título' do 1º turno em Maracanã eufórico

Foi sob o som de "Olê Mister" que o Flamengo comemorou a conquista do 1º turno. O confronto mais esperado do Campeonato Brasileiro não decepcionou. No duelo do Flamengo de Jorge Jesus com o Santos de Jorge Sampoli, venceu o bom futebol. Mas não apenas.

Superior ao time da Baixada Santista, o Rubro-Negro carioca ganhou com uma pintura de Gabigol e atuações muito boas de Bruno Henrique, Everton Ribeiro e Gerson: 1 a 0.

Com o resultado, o Flamengo leva o simbólico título de campeão do turno, chegando aos 42 pontos, abrindo cinco de vantagem para o Santos e o Palmeiras, que joga mais tarde.

No total, 68.243 pessoas estiveram no Maracanã, para uma renda de mais de R$ 3,2 milhões.

O JOGO

O Santos fazia um bom primeiro tempo, até levar o gol de Gabigol, aos 43 do 1º tempo.

Inteligentemente mais recuado que o seu habitual, e armado para contra-atacar, especialmente com Marinho, pela direita, o Santos havia concluído mais a gol que o time da casa quando foi vazado.

A posse de bola era toda flamenguista (70% a 30%), mas Sanchez, Soteldo e Marinho não davam vida fácil para a defesa da Flamengo. Nas vezes em que tentou apertar a saída de bola rubro-negra, especialmente sobre Arão, a equipe paulista foi perigosa.

O Flamengo, do meio para frente, também estava inspirado. Bruno Henrique e especialmente Gabigol eram os principais nomes do ataque. E coube ao camisa 9 abrir o placar.

Aos 43, Sasha errou passe na intermediária ofensiva, interceptado por Everton Ribeiro, e o Flamengo saiu de seu campo de defesa como um rolo compressor. De Everton para Gabigol, a ligação foi direta e perfeita.

O centroavante dominou com a direita e, em frente a Gustavo Henrique, limpou a jogada com tranquilidade, na entrada da área, pela direita do ataque.

O arremate, com categoria, foi lindo. O toque por cobertura passou a centímetros da mão direita de Everson, que estava um pouco adiantado, e ainda quase resvalou no travessão antes de balançar a rede: golaço!

A "lei do ex" não falha!

Tão perto do intervalo, o gol desnorteou um pouco o Santos. Na descida para os vestiários, ainda houve tempo para o técnico Jorge Jesus dar um tapinha no rosto de Jorge, que irritou o lateral santista. Mas, aparentemente, eles se entenderam pouco depois.

O Santos voltou mais ligado para a segunda etapa e passou a ficar mais tempo com a bola no pé. Marinho, no entanto, agora pela esquerda do ataque, já não era tão efetivo.

Bruno Henrique, então, passou a chamar o jogo pelo lado do Fla. Primeiro, pela direita, aos 15, arrancou e só foi parado por falta de Gustavo Henrique, amarelado. Depois, pela esquerda, deu drible de futsal sobre a linha de fundo em Victor Ferraz, aos 19, e bateu forte - Everson defendeu com a cabeça.

Nos bancos, Sampaoli e Jorge Jesus não paravam quietos um segundo. Ambos foram amarelados pelo árbitro.

Mas o técnico argentino não se acanhava com o Maracanã lotado, não. Tanto que sacou o zagueiro Luan Peres para a entrada do atacante Uribe. Logo, sacou também Sasha para a entrada de Cueva, que não jogava pelo Santos desde antes da Copa América.

Não adiantou muito. Avançando as linhas desde sua defesa e jogando quase totalmente no campo do adversário, o Flamengo sufocou o Santos.

Aos poucos, os cariocas também se armaram para esperar o Santos errar e dar o bote final. E o jogo foi esfriando.

Pra encerar a partida, ecoou, como já é comum no Maracanã, o grito de "Olê, Mister". Deu Fla.

FICHA TÉCNICA:
FLAMENGO 1 x 0 SANTOS

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 14 de setembro (sábado)
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Assistentes: Kleber Lucio Gil e Henrique Neu Ribeiro (SC)
VAR: Rafael Traci (SC)
Cartões amarelos: Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo, Marinho, Jorge Sampaoli, Cueva, Soteldo (SAN); Gabriel, Bruno Henrique, Jorge Jesus (FLC)
Público / Renda: 62.510 pagantes / 68.243 total / R$ 3.328.050,95
GOL: Flamengo: Gabriel, aos 43 minutos do 1T

Flamengo: Diego Alves, Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luis (Renê); Willian Arão, Gerson, Éverton Ribeiro e Arrascaeta (Berrio); Bruno Henrique e Gabigol Técnico: Jorge Jesus

Santos: Everson, Lucas Veríssimo, Lucas Peres (Uribe) e Gustavo Henrique; Victor Ferraz, Alison, Carlos Sánchez (Felipe Jonatan) e Jorge; Marinho, Soteldo e Eduardo Sasha (Cueva) Técnico: Jorge Sampaoli