<
>

Como Solskjaer e Pochettino foram de sensações a 'favoritos' a demissão na Premier League

play
Flamengo de 2019 x Manchester United de 2018-19: BB Debate escala time com os melhores jogadores no 'Cara a Cara' (5:24)

Comentaristas escolheram entre os jogadores do clube negro nesta campanha e os atletas do clube inglês na temporada passada (5:24)

Apenas seis meses atrás, Ole Gunnar Solskjaer recebeu um contrato de três anos como técnico do Manchester United. Três meses depois, Mauricio Pochettino levava o Tottenham a primeira final de Champions League da história do clube.

No entanto, quando a poeira baixou em um fim de semana que viu Javi Gracia se tornar o primeiro treinador demitido desta temporada na Premier League, Solskjaer e Pochettino se encontraram juntos - ambos favoritos nas casas de apostas para se tornarem os próximos técnicos demitidos.

Solskjaer e Pochettino compartilham o indesejado posto com Steve Bruce, que teve um começo complicado no Newcastle, mas quando foi a última vez que um treinador do Newcastle esteve tranquilo em relação ao seu trabalho? Bruce foi para o St James Park sabendo o que esperar, especialmente tendo anteriormente sido técnico do Sunderland, rival do Newcstle, de modo que o homem de 58 anos sempre soube que teria que começar bem para silenciar seus críticos.

Pochettino e Solskjaer agora precisam de uma reação igualmente positiva de seus jogadores após a pausa para jogos internacionais para tranquilizar as coisas. Em última análise, os resultados ditarão o destino de ambos, como é o caso de qualquer técnico, mas, embora as circunstâncias que envolvem as situações de Pochettino e Solskjaer sejam diferentes, cada um deles deve assumir uma parte considerável da culpa pela pressão que está começando a sentir.

As dúvidas sobre o futuro de Pochettino no Tottenham são de sua própria autoria, com o argentino falando em várias ocasiões nos últimos meses sobre como ele nem sabe quanto tempo ficará no clube ou se, de fato, ele quer ficar lá. Em Cingapura, durante pré-temporada, Pochettino chegou ao ponto de admitir que consideraria deixar o emprego se o Tottenham tivesse derrotado o Liverpool na final da Champions League da última temporada.

Durante seus cinco anos de comando, Pochetino transformou o Tottenham em um eterno fracassado a um time de presença constante nas competições europeias e um rival duro para qualquer outro clube inglês. Ganhar a Champions League seria como atingir o auge, então talvez ele já esteja pronto para um novo desafio. Mas ao falar tão abertamente sobre seu ciclo chegar ao fim no Tottenham, Pochettino criou incertezas e deu a Christian Eriksen a justificativa perfeita para rejeitar um novo contrato no clube, a fim de buscar um novo desafio em outro lugar. Há dúvidas semelhantes sobre o futuro de Jan Vertonghen, Danny Rose e Toby Alderweireld e, de repente, o Tottenham parece uma equipe à beira de ser desmembrada.

Eles estão na nona posição, com apenas uma vitória em quatro rodadas, e foram para a pausa internacional depois de perderem uma vantagem de 2 a 0 para o Arsenal, seu maior rival - o jogo terminou 2 a 2. Pochettino entrou no jogo negando os rumores de que estava de saída, então o ar da incerteza é compreensível e está chegando ao estágio em que não seria nenhuma surpresa se o técnico de 47 anos resolvesse sair de Londres.

É um cenário diferente para Solskjaer, que ainda tem o apoio dos torcedores do United e não há sinais de que a família Glazer, os donos do United, estejam ficando inquietos com os resultados recentes. Mas esses resultados são os motivos pelos quais as casas de apostas estão sendo menos do que generosas com as chances de Solskjaer perder o emprego.

O United teve o pior início de temporada desde 1992-93, vencendo apenas uma vez em quatro jogos, e perdeu vários jogadores experientes sem contar com peças de reposição. O otimismo que surgiu após a nomeação do norueguês como técnico em dezembro passado, na sequência da demissão de José Mourinho, se deu justamente porque os resultados eram bons. O United não vence longe de Old Trafford em nenhuma competição desde a vitória por 3 a 1 contra o Paris Saint-Germain, em 6 de março. A última partida em que o clube não sofreu gols foi contra o Liverpool (0 a 0), em fevereiro. Sob o comando de Solskjaer, o United venceu apenas três dos últimos 16 jogos em todas as competições, perdendo nove deles.

Solskjaer embarcou em um processo de reconstrução de equipes que deixou o United com apenas três atacantes - um deles com Mason Greenwood, de 17 anos - e sem novos meias. Mas a grande questão é se o ex-atacante e lenda do United sobreviverá por tempo suficiente no cargo.

Solskjaer e Pochettino estavam aparentemente intocáveis ​​em suas posições atuais apenas seis meses atrás, mas o futebol pode mudar rapidamente. Basta perguntar a Javi Gracia. Em maio, ele estava sendo escolhido como potencial novo técnico pelo Chelsea, tendo guiado o Watford à sua primeira final da FA Cup desde 1984. Agora, ele está desempregado. Essa é a natureza do jogo para os técnicos de futebol, por isso seria tolice pensar que não há motivo para preocupação com Pochettino e Solskjaer.