<
>

Anderson Martins crê que expulsão de Raniel pesou na derrota para o Vasco

play
Cuca discorda de expulsão de Raniel, mas reconhece: 'O Vasco venceria mesmo no 11 contra 11' (2:20)

O treinador do São Paulo afirmou que o clube carioca foi muito superior durante toda a partida em São Januário. (2:20)

Titular pelo terceiro jogo consecutivo, deixando Bruno Alves no banco de reservas, Anderson Martins lamentou a expulsão de Raniel aos 35 minutos do primeiro tempo a categorizou o lance como primordial para que o São Paulo saísse de campo neste domingo, em São Januário, com a derrota.

“Acho que [a expulsão] determinou [o placar], o jogo estava de igual para igual, a equipe estava bem no jogo. Infelizmente, com um a menos, dificultou o trabalho. Mas, está todo mundo junto, campeonato é longo. Quando perde, perde todo mundo. Quando ganha, ganha todo mundo”, disse Anderson Martins.

Após boas partidas contra Ceará e Athletico-PR, aproveitando as ausências de Arboleda e Bruno Alves para mostrar seu futebol, Anderson Martins convenceu o técnico Cuca e ganhou uma nova oportunidade neste domingo, no entanto, não conseguiu repetir o bom desempenho de outrora. Apesar da quebra da sequência de cinco vitórias consecutivas, o zagueiro vem lidando com o resultado com naturalidade.

“O campeonato é longo, ninguém consegue ficar invicto em um campeonato tão disputado como é o Brasileiro. A gente fica triste de perder a invencibilidade, mas estamos sujeitos a isso. A equipe brigou com o Vasco mesmo com um a menos, a expulsão dificultou nosso trabalho, mas estamos juntos, sabemos que podemos recuperar no próximo jogo”, prosseguiu.

Por fim, o zagueiro são-paulino comentou sobre as vaias que recebeu da torcida do Vasco durante a partida deste domingo. Anderson Martins defendeu o Cruzmaltino em 2011 e em 2017, sendo um dos pilares do sistema defensivo.

“Faz parte, tenho muito respeito pelo Vasco. Se hoje estou no futebol, devo muito à equipe do Vasco, que me deu projeção. A gente fica triste, mas acontece. A carreira segue, vida que segue”, concluiu.