<
>

Discussão de Cuca com Leandro Castán teve até Gabigol envolvido

play
Cuca lamenta gritos homofóbicos em São Januário, cita proibição de cigarro em bares e torce por 'correção' (0:50)

'Tenho esperança que isso seja corrigido um dia', falou o treinador do São Paulo após a derrota da equipe para o Vasco. (0:50)

O técnico Cuca protagonizou uma grande discussão com Leandro Castán após a vitória do Vasco sobre o São Paulo por 2 a 0, em São Januário. O comandante tricolor chegou a apontar o dedo no rosto do zagueiro vascaíno, pedindo mais respeito por conta de provocações feitas pelo time adversário já na reta final da partida.

Questionado sobre o que, de fato, aconteceu na saída de campo, o técnico Cuca lembrou do duelo entre Santos e Vasco, no ano passado, quando ainda dirigia o time santista, para explicar por que discutiu com Leandro Castán.

“Não ia falar nada sobre o que aconteceu, porque coisa de campo morre dentro de campo, mas, já que viram o que eu falei… ano passado, no Santos x Vasco, no Pacaembu, houve um momento em que o Leandro Castán me cobrou para que eu chamasse a atenção do Gabigol sobre uma situação que havia ocorrido, e eu chamei”, disse Cuca.

“Hoje, quando o juiz tinha apitado uma falta, com o jogo 2 a 0, nós com um a menos, não me lembro se foi o Marrony, mas deram um chapéu no Juanfran. Falei para o Castán: ‘Você lembra? ‘. Foi uma correção para que ele fizesse como ele cobrou naquele momento com o Gabigol. Acho que o Castán queria vir me falar alguma coisa a respeito disso, e o pessoal não deixou ele falar”, completou o treinador do São Paulo.

Cuca também deu sua opinião sobre o momento em que o árbitro Anderson Daronco paralisou o jogo para pedir a Vanderlei Luxemburgo que ele aconselhasse a torcida do Vasco a parar com os cantos homofóbicos no momento em que o goleiro rival batia os tiros de meta.

“Esse é um tema muito delicado, tem coisas no futebol que você já vive com eles. Na nossa vida tudo está mudando. Antigamente, você falava ‘esse é v...’, era uma coisa normal. Hoje em dia, dá cadeia. Isso está sendo corrigido, mas foi corrigida tanta coisa que eu espero que isso esteja sendo corrigido. Quem diria que um dia a gente iria a um bar em que é proibido fumar? Eu não acreditava que esse dia chegaria”, concluiu Cuca.