<
>

Sampaoli explica Sánchez no banco e defende Aguilar após empate do Santos

play
Sampaoli elogia primeiro tempo do Santos contra o Fortaleza: 'Empatar esse jogo não passava pela minha cabeça' (1:18)

Treinador do time santista destacou domínio de sua equipe na primeira etapa (1:18)

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, explicou a opção por Carlos Sánchez no banco de reservas no empate em 3 a 3 com o Fortaleza neste domingo, na Vila Belmiro, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Sampaoli armou o time com Alison, Diego Pituca e Evandro no meio-campo. Após pedidos do torcedor, o uruguaio entrou no segundo tempo e não evitou a reação.

“Evandro tem treinado muito bem, escolhemos um pelo outro (Evandro na função de Sánchez). Alison foi mais pelo equilíbrio no meio-campo. Não vi segundo tempo irregular. Os que entraram não modificaram muito a equipe. São momentos e o rival aproveitou. O segundo gol nos golpeou. Nos colocou no terreno de imprecisão. E quando não jogamos, mostramos certa vulnerabilidade”, disse Sampaoli.

O treinador argentino também defendeu Felipe Aguilar. O zagueiro falhou nos três gols do Fortaleza – cometeu um pênalti, não acompanhou Wellington Paulista e deu “assistência” para Tinga.

“São momentos. Aguilar fez um jogo muito bom, mas teve erros pontuais que interferiram no resultado. Isso desfigura um pouco a atuação. Confio muito nele, é nobre, que deixa tudo e se entrega totalmente. Ele está no último terço e erros aparecem mais. Ainda mais quando se convertem em gols. Temos que levantar quem não vive o melhor momento”, completou Sampaoli.