<
>

Real Madrid faz contas de quanto pode lucrar com o 'produto' Neymar

Enquanto não realizam novas investidas oficiais por Neymar e 'caminham nas beiradas', o Real Madrid estuda os benefícios que o brasileiro do Paris Saint-Germain pode trazer para o clube, principalmente no quesito financeiro. E não é pouco.

De acordo com o AS, o jogador ganha 27 milhões de euros (R$ 120 milhões) brutos por ano de suas marcas patrocinadoras. Esse valor equivale a 29% dos ganhos totais do jogador. Como afirma o jornal, o brasileiro "é um produto".

Desde a época dos Galáticos em Madri, o clube adotou a política de dividir os direitos de imagem dos jogadores em 50% para o clube e metade para o atleta - e todos aceitam o acordo por entender que os valores aumentam muito também pelo apelo mundial dos merengues. Logo, mais dinheiro para ambos os lados.

Por isso, se Neymar gera 27 milhões por ano com publicidade, o time já teria garantido 13,5 milhões de euros (R$ 60 milhões) a mais em seu caixa. Sendo que a cifra pode aumentar, como afirma o jornal, já que, por exemplo, se alguma marca paga 10 milhões ao atleta, "com certeza alguns milhões a mais irão aparecer depois que ele se transferir".

Em comparação com seu salário, o próprio jogador "se pagaria" a partir dos lucos que gera - ou pelo menos uma boa parte dos gastos que os madrilenhos teriam mensalmente com ele.

Além disso, já pensando em lucros futuros, o Real tem mais uma vantagem sobre o Barcelona, principal rival na disputa pelo jogador e que busca seu retorno de todas as formas.

A Associação de Clubes Europeus recomenda que a mesa salarial total de um time não supere 70% de seus lucros. E isso está sendo levado em conta por ambos os times quando o assunto é Neymar, porque não sai barato ter o brasileiro em seu time.

Em Madri, essa porcentagem é de 57%. O clube gasta com salários entre todos os seus 811 funcionários um total de 430 milhões de euros (R$ 1,9 bilhão) dos seus lucros que são de 751 milhões de euros (R$ 3,3 bilhões). 280 milhões de euros são apenas para o time principal de futebol.

Caso sejam adicionados os 70 milhões brutos que pagariam ao brasileiro (37 milhões limpos apenas em salários), a porcentagem chegaria a 66%, ainda na média que é recomendada.

Por outro lado, o rival teria problemas muito grandes. Ao invés de se preocupar com o futuro, o Barça já devia se preocupar com o presente, já que a atual porcentagem de gastos disparou a 77%.

Os catalães gastam 529 milhões de euros (R$ 2,3 bilhões) com seus funcionários (303 milhões para o time principal), sendo que tem lucros de 686 milhões de euros (R$ 3 bilhões).

Como finaliza o jornal, "Neymar é uma aposta segura" no quesito financeiro. A imagem do brasileiro gera lucro apesar de qualquer resultado negativo e leva torcedores para o estádio a qualquer momento.

Florentino Pérez sabe disso e vê com bons olhos a chegada do craque neste sentido. A dúvida é se o pacote todo, além do financeiro, vale a pena.