<
>

Polícia do Rio de Janeiro investiga transferência de Paulinho ao Bayer Leverkusen, diz site

play
Castán, do Vasco, projeta jogo difícil contra o São Paulo e aponta: 'Precisamos ganhar um jogo desse' (0:25)

Zagueiro disse que gosta de atuar em partidas importantes como a do próximo fim de semana (0:25)

A Polícia do Rio de Janeiro, por meio da Delegacia de Defraudações investiga o movimento do dinheiro recebido pelo Vasco na transferência de Paulinho, em 2018, ao Bayer Leverkusen, da Alemanha, segundo o Globoesporte.com.

A suspeita é de que o Banco Paulista teria recebido o valor completo através do presidente do Vasco, Alexandre Campello, de R$ 76 milhões (18,5 milhões de euros). A manobra teria sido feita para evitar que esse valor fosse usado para pagamento de dívidas aos credores do clube, e aos ex-jogadores que processaram o clube.

Em caso de confirmação da acusação, ambos presidente e instituição financeira seriam indiciados por fraude.

O clube, através de Anderson Santos, o diretor financeiro, negou que o clube tentou esconder o dinheiro.

Já os investigadores endossam a acusação ao dizer que, como é dito no site do próprio Banco Paulista, a sede financeira da instituição fica nos Estados Unidos, em Nova Iorque, junto ao Bank of America. Logo, o dinheiro fica inalcançável aos órgão públicos brasileiros.

Os delegados querem a quebra de sigilo do receptor do dinheiro da transferência do atacante para terem ciência de quem controlou a operação financeira.


O Vasco enviou uma nota oficial comentando o caso. Leia a íntegra:

O CRVG em nenhum momento deixou de prestar os esclarecimentos por escrito sobre o assunto, juntando toda a documentação pertinente a operação de venda envolvendo o atleta Paulinho e detalhes da nova administração;

O próprio Presidente do CRVG e sua diretoria se colocaram à disposição do Promotor de Justiça para depoimento, avaliado desnecessário pelo mesmo, deixando a cargo da Polícia tomar os termos;

A conta do Banco Paulista já era de titularidade do CRVG, antes da nova administração, e utilizada como intermediário bancário obrigatório nas operações de câmbio, devidamente registrado nos órgãos responsáveis;

Parece indevida a intervenção das Autoridades em assuntos eminentemente cíveis, sendo que todos os fornecedores do CRVG estão sendo contatados para regularizar o pagamento de eventuais valores devidos e em atraso;

Todas as acusações irresponsáveis e criminosas vazadas nesse caso, serão objeto de representação para apurar a prática do crime de denunciação caluniosa, além das ações indenizatórias cabíveis à espécie.


A negociação do jovem atacante foi a maior venda da história do Vasco da Gama. Aos 18 anos, Paulinho se destacou no clube e nas seleções de base e chamou atenção da Europa.