<
>

Premier League procura novo chefão e patrocinador para o VAR: veja o que jornal inglês diz que é mais fácil encontrar

A Premier League é considerada a melhor e mais rica liga de futebol do mundo. No entanto, neste momento, não tem um chefe-executivo, mesmo 14 meses depois da demissão de Richard Scudamore.

Ao mesmo tempo em que busca um novo chefão, o Campeonato Inglês também tem que lidar com uma grande novidade: a introdução do árbitro de vídeo. A questão, porém, não é uma adaptação técnica, mas uma oportunidade financeira.

Como provado nas rodadas iniciais da temporada 2019/2020, o VAR funciona com maestria em terras inglesas. A busca da Premier é um avanço: uma empresa que se disponha a patrocinar o árbitro de vídeo e tenha seu nome divulgado em todos os replays da tecnologia.

Segundo o The Guardian, porém, é mais fácil encontrar alguém para dirigir a Premier League do que uma empresa disposta a associar seu nome ao VAR. A questão não é nem diretamente o funcionamento dele na Inglaterra, mas a imagem que a tecnologia leva ao redor do planeta.

Segundo um levantamento feito em maio, o VAR ficou 27 minutos na televisão durante a última Copa do Mundo, em 2018, e estimou que a Fifa poderia ter lucrado 50 milhões de libras (cerca de R$ 244 milhões).

Desde então, a imagem do VAR foi ficando cada vez mais manchada ao redor do planeta por conta das polêmicas e erros em grandes ligas. Então, de acordo com a publicação, será difícil encontrar alguém que esteja disposto a associar o seu nome com a tecnologia e ainda tenha que gastar tanto dinheiro. Mas existe um exemplo no mundo: o McDonald's divulga sua marca em todas as repetições do árbitro de vídeo na Austrália.