<
>

Fortaleza abre guerra por direitos de TV e cobra R$ 14 milhões que recebe a menos que 'parceiros'

play
Marcelo Paz exalta passagem de Rogério Ceni pelo Fortaleza: 'Para mim, é o maior treinador da história do clube' (1:29)

Presidente do clube falou sobre as conquistas do ex-treinador e suas contribuições para a melhora estrutural da instituição (1:29)

Os jogadores do Fortaleza entraram em campo, no último sábado, em derrota por 1 a 0 para o Internacional, com uma camisa com o número -14 estampado no peito. O significado por trás do ato está em um protesto do clube contra a Turner, grupo dono do canal Esporte Interativo.

A equipe cearense reclama do valor que recebe como cota pelos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro, fechado com a empresa norte-americana. O Fortaleza protesta por receber R$ 14 milhões a menos que os demais clubes que assinaram contrato com a Turner.

O Fortaleza revela possuir uma cota fixa de R$ 9 milhões, enquanto Palmeiras, Santos, Internacional, Bahia, Athletico Paranaense e o rival Ceará dividiram R$ 140 milhões, ou seja, R$ 23 milhões para cada.

“Depois de muitas reuniões e conversas com executivos do grupo, a diretoria do Tricolor ouviu que o contrato que o clube mantém com a emissora até 2024 para transmissão dos jogos do Leão na Série A do Brasileiro em TV fechada não será alterado”, reclamou o clube, em nota.

“O Fortaleza solicitava uma equiparação de contrato com os demais clubes que fecharam com a Turner (Palmeiras, Santos, Inter, Bahia, Athletico-PR e Ceará), já que eles possuem um acordo diferente, financeiramente mais vantajoso”, completa o texto.