<
>

Jornal espanhol define Coutinho como decepção maiúscula no Barcelona: 'Sai pela porta dos fundos'

play
Real Madrid, Barcelona ou Atlético? Calçade opina nos favoritos ao título de LaLiga (1:20)

Espanhol começa nesta sexta-feira, com transmissão da ESPN (1:20)

Philippe Coutinho, a contratação mais cara da história do Barcelona, deixa o clube pela porta dos fundos, na avaliação do jornal espanhol Marca. O carioca deveria ter sido o substituto de Andrés Iniesta no meio-campo blaugrana. Mas, em um ano e meio, não conseguiu chegar perto de ser sombra disso.

O carioca chegou com expectativas muito altas. Seu desempenho na Premier League, como jogador do Liverpool, a boa memória que ele deixou de passar pela LaLiga quando era mais jovem (Espanyol), seu papel principal na seleção brasileira e, acima de tudo, seu preço, indicavam que o Barça assinara com um jogador de primeira linha.

Mas ele, no entanto, nunca conseguiu atender às expectativas, segundo o Marca. O brasileiro não se sentiu confortável com seu papel dentro do campo, em um sistema em que nunca encontrou acomodação. Tanto quanto veio com o cartaz do sucessor de Iniesta, essa não era sua posição natural. O perfil de Philippe era outro, mais próximo da área, com maior liberdade de movimento entre as linhas. Um perfil que no Barça é reservado quase exclusivamente para Messi.

Coutinho chegou no meio da temporada, no meio do mercado de inverno. Impedido de jogar na Champions League, ele viu de fora da catástrofe de Roma. O público deu-lhe trégua nesse primeiro momento. Mas ele nunca retribuiu tal trégua com desempenho.

O Camp Nou acabou perdendo a paciência e o brasileiro entrou no clube de jogadores do Barça que foram espancados por seu próprio público. Durante o tempo em que esteve em Barcelona, ​​Coutinho foi o jogador que mais jogou, apenas superado por Jordi Alba e Rakitic. E isso porque ambos podiam jogar Champions em 17-18, ao contrário dele.

Naquela época, Coutinho foi o terceiro artilheiro do plantel da Barca (21), apenas superado por Messi (71) e Luis Suárez (40). Isso não foi suficiente para salvar um jogador que parecia estar sempre em desgosto em campo, zangado com o mundo.Sua excelente relação pessoal com Luis Suarez fora de campo, as tentativas de Messi de sentá-lo à sua mesa, não impediram a queda do carioca.

Rumores de bastidores dão conta de que ele está profundamente desapontado com o Barça. A mesma palavra que provavelmente vem à mente dos catalães quando falam sobre seu tempo no Barça.

Neste momento parece difícil para os catalães recuperar os 135 milhões de euros -120 fixos mais 15 em variáveis ​​- que já foram pagas por ele. Coutinho interessava ao PSG, que estava disposto a aceitá-lo como parte do pagamento para a contratação de seu amigo e compatriota Neymar. Mas Coutinho disse não.

Entre jogar na Ligue 1 e fazê-lo na Bundesliga,, ele escolheu o caminho natural. O Bayern de Munique parece um bom lugar para lamber as feridas e se recuperar.

Funcionou com James Rodriguez, relembra o jornal.