<
>

Barcelona: De Jong revela experiências - boas e ruins - no Ajax e como ídolo holandês o aconselhou a ir para o clube

play
Frenkie de Jong se diz triste por desmanche do Ajax e brinca sobre chance de Van de Beek ir para o Real (1:15)

O meio-campista holandes afirmou que prefere que o compatriora permaneça na equipe de Amsterdã: 'Mas claro, se ele for para Madri, vou ficar feliz'. (1:15)

As exigências em Barcelona significam que ganhar LaLiga nem sempre é suficiente para satisfazer a todos. Na temporada passada, o time de Ernesto Valverde conquistou o título espanhol por 11 pontos, mas é pela segunda humilhação consecutiva na Champions League que sua campanha é lembrada.

A derrota por 4 a 0 na partida de volta para o Liverpool na temporada passada acabou com o sonho da Tríplice Coroa do clube. Balançado pelos acontecimentos em Anfield, o Barça não foi capaz de se erguer para a final da Copa do Rei e sofreu uma derrota por 2 a 1 para o Valencia. Como consequência, começaram a cogitar a demissão de Valverde. O presidente Josep Maria Bartomeu ficou com o técnico, e se concentrou em rejuvenescer o time.

Frenkie de Jong - junto com Antoine Griezmann, Junior Firpo e Neto - está entre os recém-chegados. O meia foi contratado por cerca de R$ 330 milhões após excelente temporada com o Ajax - dois títulos e semifinal de Champions League.

De Jong é o mais recente jogador holandês a trilhar o caminho entre Amsterdã e Barcelona, ​​que ficou famoso por Johan Cruyff. Ele já está sendo considerado o líder de uma nova era no Camp Nou. A torcida clama pelo controle de jogo da época de Pep Guardiola, e o holandês seria a chave para isso.

De Jong sentou com a ESPN em Michigan, durante a pré-temporada do clube. Ele falou sobre deixar a Holanda, expectativas para a sua primeira temporada no Camp Nou e mais.

ESPN: Você poderia ter assinado com o Barcelona há 12 meses, mas Edwin van der Sar e Marc Overmars convenceram você a ficar no Ajax com um vídeo. Isso é verdade?

Frenkie de Jong: Sim. Havia seis ou sete de nós e tivemos algumas dúvidas sobre se deveríamos ficar ou ir para outro clube. Eles nos mostraram um vídeo sobre o que esperavam da temporada e o que esperavam de nós para nos convencer a ficar. Que bom que fizeram isso. Acho que teríamos ficado assim mesmo, mas ajudou, com certeza. Eles mostraram que tinham confiança em nós e que isso era bom.

ESPN: E vocês foram todos comparados a um jogador do passado do Ajax no vídeo?

FDJ: Eles não estavam realmente nos comparando, mas cada jogador tinha outro jogador do passado que havia ganho troféus no clube e era um pouco semelhante à sua posição. O meu foi Christian Eriksen, do Tottenham.

ESPN: Por que a temporada de 2017-18 foi tão decepcionante mesmo após a final da Liga Europa contra o Manchester United?

FDJ: Eu acho que sempre tivemos muitos jogadores talentosos no Ajax. Essa é a filosofia do clube. Nós tínhamos um esquadrão realmente talentoso, mas faltava alguma coisa. Acho que nesse ano tivemos um pouco de azar. Todas as condições para ser uma grande equipe estavam lá, mas faltava algo.

ESPN: O que mudou na última temporada?

FDJ: Um pouco de tudo. Nós tínhamos um time realmente talentoso e muitos jogadores de qualidade. Acho que a ideia de como queríamos jogar estava bem estabelecida: a visão, as táticas. Quando tudo isso vem junto e quando você tem um pouco de sorte, você pode conseguir grandes coisas. Nós realmente nos divertimos muito. Eu acho que foi um time especial, não apenas pelas qualidades e táticas, mas parecia que nós éramos amigos que brincavam juntos. Foi uma temporada incrível.

ESPN: Quais foram os destaques?

FDJ: Eu acho que as vitórias contra Real Madrid e Juventus são as melhores lembranças. Nós nos tornamos campeões pelo que fizemos durante toda a temporada. Foi incrível e as celebrações foram incríveis, mas se eu tivesse que citar um ou dois jogos, eu citaria os contra Juve e Real. Eu acho que o jeito que jogamos foi incrível. Isso deu alegria às pessoas.

ESPN: Você está no Barcelona e Matthijs de Ligt está na Juventus, existe alguma parte de você que está triste por conta da desmontagem do Ajax?

FDJ: Estou muito orgulhoso da temporada que tivemos e tenho orgulho de ver meus colegas indo para grandes clubes. Eu acho que todos eles merecem isso. Mas é claro que me sinto um pouco triste - não que eu me arrependa, porque estou muito orgulhoso e feliz por estar aqui, mas é um pouco triste que o time esteja se separando. Mas você sabe que essas coisas vão acontecer quando você tem uma temporada como essa. É assim que as coisas são.

ESPN: Você acha que esse será sempre o futuro do Ajax?

FDJ: Eu acho que depende muito da competição. A competição precisa crescer muito. A Eredivisie é, para mim, muito legal de jogar, mas não se compara às outras, como LaLiga e Premier League.

ESPN: Donny van de Beek pode ser o próximo a sair, com o Real Madrid interessado. Você gostaria de tê-lo como rival?

FDJ: Eu preferiria que ele ficasse no Ajax porque eu não o teria como adversário e o Ajax continuaria forte. Mas, claro que, se ele for para Madri, eu ficarei muito feliz por ele. Eu acho que ele merece isso. Ele é um ótimo jogador.

ESPN: Os rumores sobre o seu futuro e o do zagueiro De Ligt eram implacáveis ​​às vezes. Foi difícil lidar com isso?

FDJ: Não, para mim não foi tão difícil. As pessoas vão falar sobre isso, mas isso não me afetou e nem à minha família. Foi muito bom fechar o negócio em janeiro, porque todos os rumores haviam passado e eu podia me concentrar apenas no futuro.

ESPN: Como você está sendo a sua experiência no Barça até agora?

FDJ: Estou gostando muito. A equipe está me ajudando muito com tudo, dentro e fora de campo. Eu me sinto muito bem, estou confortável. Eles me fizeram sentir em casa. O primeiro mês foi muito bom.

ESPN: Você foi crítico de algumas de suas próprias atuações na pré-temporada e também disse que a equipe pode jogar melhor. Valverde diz que se cobra muito...

FDJ: Eu tenho um padrão alto para mim e para a equipe também, mas eu não mando na equipe, então não preciso dizer nada sobre [como devemos jogar]. Eu só exijo muito de mim mesmo e acho que você sempre precisa olhar para as coisas que você pode melhorar, porque senão você não está melhorando como jogador. Eu ainda sou jovem, então preciso melhorar muito.

ESPN: Quão parecidos são os estilos de jogo do Barcelona e do Ajax?

FDJ: Eu acho que a filosofia e a ideia dos clubes são as mesmas: ambos querem ser dominantes. Eu acho que não há grandes diferenças. Eu acho normal. Cada clube joga de maneira diferente, mas você pode compará-los com certeza, porque a ideia e a visão do clube são as mesmas. A maneira de jogar é um pouco diferente, mas eu estou jogando com tantos jogadores de qualidade que é mais fácil para eu me encaixar no time.

ESPN: Quais são as diferenças?

FDJ: É difícil explicar... Não posso revelar tudo que estamos fazendo, mas acredite, as diferenças existem.

ESPN: Você é um jogador que gosta de assistir futebol em casa ou tenta se desconectar?

FDJ: Eu estou assistindo muito futebol, as grandes ligas europeias, o futebol holandês também. Eu gosto disso. O futebol é uma grande parte da minha vida e eu pretendo continuar assistindo.

ESPN: Tirando o Barcelona, é emocionante fazer parte da seleção da Holanda outra vez após momentos difíceis?

FDJ: É muito bom. Eu acho que nós temos muitos jogadores talentosos. O futuro será brilhante. Acho que estamos com uma boa 'vibe' agora - tem sido um pouco negativo nos últimos anos - mas agora tudo parece positivo. Temos que nos classificar para a Eurocopa do ano que vem, e vamos ver como nos sairemos nesse torneio.

ESPN: Como é ter Ronald Koeman como treinador? Quão grande foi o seu papel na sua escolha de vir para o Barcelona?

FDJ: Eu pedi conselhos sobre qual clube eu deveria ir. Ele estava muito entusiasmado com o Barcelona, ​​isso não precisa ser dito. Claro, como técnico ele é muito bom, ele dá confiança ao time, taticamente ele é forte, acho que estamos todos muito felizes com ele.